O Botafogo aproveitou-se do cansaço do Flamengo, venceu o rival por 3 a 0 e garantiu vaga à final da Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca. Seu adversário será o Fluminense, classificado no sábado (12) tem ao superar o Vasco nas cobranças de pênaltis.

Nem mesmo a presença de um torcedor especial neste domingo (13) no Maracanã, o atacante Ronaldo Fenômeno, com a camisa do Flamengo, deu forças ao Rubro-Negro, desgastado após viagem a Cuzco, cidade peruana 3.400 metros acima do nível do mar, onde teve compromisso pela Libertadores na quarta-feira. "Vamos vencer", disse Ronaldo, jogador do Milan, ao chegar ao estádio. Ele está no Rio para tratar de grave lesão de joelho.

Ronaldo não levou sorte ao time de coração. A vitória do Botafogo foi justa, apesar de um erro da arbitragem, ao marcar pênalti inexistente no lance que originou o terceiro gol do Alvinegro. Àquela altura, o Botafogo dominava o clássico e o Flamengo apenas esboçava timidamente uma reação.

O resultado obrigatoriamente levará a decisão do Carioca a dois jogos finais, após o confronto único entre Botafogo e Fluminense no domingo, pelo título do segundo turno. Como o Flamengo ganhou a Taça Guanabara, poderia antecipar o término da competição se vencesse também a Taça Rio.

Sob forte calor, os dois times pouco apresentaram no primeiro tempo. Wellington Paulista, de cabeça, abriu o placar num dos raros momentos interessantes dessa etapa. Alessandro ampliou sem marcação, depois de desperdiçar outras duas oportunidades.

O Botafogo perdia um gol atrás do outro e o Flamengo não conseguia se organizar. Seus jogadores se preocupavam mais em reclamar da arbitragem, para desespero do técnico Joel Santana, temeroso de que houvesse alguma expulsão. O meia Toró era o mais nervoso e ficou mais irritado ainda quando da marcação do pênalti, num choque casual que teve com Jorge Henrique dentro da área. Lúcio Flávio cobrou bem, sem defesa para Castillo.