Moscou – O amistoso do Brasil com a Rússia, hoje, em Moscou, pode ser resumido numa frase, adaptada de um conhecido comercial de TV: ?Garçom, traga por favor uma estupidamente gelada?.

A partida vai ser disputada sob frio intenso – a temperatura na capital russa chegou a 12 graus negativos ontem – e o que é pior, num piso muito castigado pela neve, com mais barro do que grama.

A exposição a tais condições dos atletas de uma seleção de ponta, pentacampeã mundial, três meses antes da Copa da Alemanha, atende a uma exigência de contrato entre a CBF e uma de suas patrocinadoras oficiais, a Ambev.

Pelo acordo, a empresa tem o direito de organizar e agendar um jogo por ano da seleção. Este amistoso deve render a ela em torno de US$ 1,5 milhão.

A Ambev está interessada em incrementar a venda na Rússia de uma das cervejas mais populares no Brasil. A partida vai começar às 19h (13h de Brasília), com transmissão direta pela TV Globo.

Discurso ensaiado

Para vários jogadores da seleção, enfrentar a Rússia, eliminada na fase classificatória do Mundial, não vai passar de um compromisso protocolar. Quase todos estão mais preocupados com as fases finais dos campeonatos europeus e da Liga dos Campeões da Europa. Eles, porém, sabem dos riscos de sofrer uma lesão muscular atuando sob temperatura tão baixa, num campo que contrasta com a qualidade técnica do grupo brasileiro.

Nas entrevistas, o discurso da comissão técnica e dos atletas parecia ensaiado. Ninguém reclamava do frio e do gramado. Ao contrário, diziam que dificuldades e obstáculos fazem parte e são importantes numa fase final de preparação de Mundial.

?Nós corremos o risco de lesões a todo instante, em treinos e jogos. Não é porque está mais frio em Moscou que vamos ter de pensar nisso?, disse o meia Ricardinho, confirmado como titular no lugar de Ronaldinho Gaúcho, cortado por contusão no tornozelo.

O compromisso de hoje será o último do Brasil antes do anúncio dos 23 convocados para a Copa da Alemanha, no dia 15 de maio. Depois, entre 31 de maio e 4 de junho, a equipe vai realizar dois jogos-treinos, contra Nova Zelândia e possivelmente enfrentando um combinado suíço.

Para Ronaldo, a motivação de defender o Brasil supera adversidades como baixa temperatura e gramado ruim. ?O importante é vestir sempre a camisa da seleção?, declarou.

O atacante Adriano disse que não entra em campo ?pensando em coisas ruins, como o medo de lesões?.

Na tentativa de evitar problemas musculares, os jogadores do Brasil vão fazer um aquecimento especial, quando faltar uma hora para o início do amistoso. Eles usarão camisa térmica e ainda uma malha impermeável antes de vestir o calção.

O goleiro Rogério Ceni, outro que vai sair jogando, deixou claro que sempre estará à disposição da seleção para jogos em quaisquer circunstâncias. ?Os pés e as mãos ficam doendo muito, praticamente congelados.

O restante do corpo está bem protegido?, revelou.

A seleção deve ter durante o jogo de quatro a seis mudanças. Na zaga, Cris vai entrar no decorrer da partida.

O atacante Fred também terá chance de mostrar seu futebol pelo menos por alguns minutos.

Seleções da Copa jogam pelo mundo

Londres – A cem dias do início da Copa da Alemanha, 27 das 32 seleções classificadas entram em campo hoje para uma super-rodada de amistosos pelo mundo. Será um dos últimos testes antes de começar a disputa do Mundial, no dia 9 de junho.

Brasil e Rússia se enfrentam em Moscou, mas o destaque do dia é o clássico entre os tricampeões Alemanha e Itália, em Florença. O técnico Marcelo Lippi não poderá contar com o capitão Totti, que se recupera de uma fratura no tornozelo. Del Piero, que pretende disputar sua terceira Copa, fica com a vaga no meio-de-campo. Luca Toni e Alberto Gilardino formarão a dupla de ataque.

No treino de ontem, o atacante Vieri torceu o tornozelo direito e é dúvida na Itália. ?Só vamos decidir sua escalação amanhã, momentos antes do jogo?, afirmou Lippi.

Pela Alemanha, Jürgen Klinsmann escala a dupla de zaga com Robert Huth e Per Mertesacker, após desentendimento do treinador com Christian Woerns. Phili Lahm volta à lateral-esquerda. No ataque, Miroslav Klose terá como companheiro de setor Gerald Asamoa, pois Kevin Kuranyi ficou fora desta convocação.

Antes do início do jogo será lida pelo bispo auxiliar da diocese de Florença, Claudio Magnago, uma mensagem do papa Bento XVI contra o racismo no futebol.

Argentina

Na Basiléia, a Argentina enfrenta a Croácia, primeiro adversário da seleção brasileira na Copa. A única dúvida do técnico José Pekerman para escalar a equipe foi resolvida após o treino de ontem. O meia Riquelme, que reclama de dores nas costas, está escalado.

?O que tenho não é nada grave?, afirmou o jogador do Villarreal.

Já o técnico croata Zlatko Kranjcar preferiu não divulgar a escalação de seu time. ?Pretendo fazer várias observações na equipe?, disse o treinador da seleção que enfrentará o Brasil na estréia da Copa.

Em Liverpool, a Inglaterra não terá o goleador Michael Owen autor de dois gols na vitória sobre a Argentina, por 3 a 2, em novembro, – diante do Uruguai. O atacante do Newcastle se recupera de uma fratura no pé e não poderá formar dupla com Wayne Rooney.

Pelé critica Fenômeno

Xangai – Em visita como embaixador da Fifa à cidade chinesa de Xangai, Pelé declarou que o atacante Ronaldo, do Real Madrid, sofre ?tropeços na carreira por questões não esportivas, devido a uma vida pessoal confusa?.

?Com todos os seus títulos, Ronaldo demonstrou que é um grande jogador. Mas, ele perdeu este caminho. Poderia ter sido um jogador melhor se não tivesse sido afetado por problemas externos?, declarou Pelé, na China.