A seleção brasileira feminina de basquete se manteve viva no Mundial da República Checa ao conquistar uma vitória emocionante nesta terça-feira, em Brno. Após empatar o confronto com uma cesta de três de Sílvia Gustavo no segundo final, o Brasil foi melhor na prorrogação e ganhou do Japão por 93 a 91, contando com uma brilhante atuação de Érika.

O emocionante resultado desta terça deixou o Brasil provisoriamente na quarta posição do Grupo F, com duas vitórias e três derrotas – os resultados da primeira fase ainda são considerados. Se perdesse das japonesas, a equipe já estaria eliminada na competição.

Para garantir vaga nas quartas de final, a seleção precisa derrotar a República Checa na quarta-feira e torcer por duas derrotas da Coreia do Sul, contra Rússia e Japão. Se as asiáticas vencerem um desses jogos, brasileiras, checas e sul-coreanas ficarão com três vitórias e decidirão as últimas duas vagas no saldo de pontos.

Embora não tenha feito uma grande partida, as brasileiras demonstraram grande poder de superação e contaram, sobretudo, com a impecável atuação da cestinha Érika, que terminou com 32 pontos e 18 rebotes. Iziane também teve atuação consistente: marcou 24 pontos e foi decisiva no final da prorrogação.

Em partida parelha, as duas seleções mantiveram o equilíbrio no primeiro quarto, mas as japonesas se aproveitaram da desconcentração adversária e abriram vantagem de oito pontos no final do primeiro tempo. A seleção brasileira buscou, então, a reação no terceiro quarto e deixou o jogo dramático.

No último quarto, o Japão se manteve à frente com ligeira vantagem até o seu último ataque, quando converteu dois lances livres e abriu 78 a 75. Com menos de 18 segundos de posse de bola, a seleção brasileira se atrapalhou na armação, mas a bola sobrou para Sílvia que, pressionada, acertou arremesso de três e empatou no estouro do cronômetro.

O panorama não mudou na prorrogação. As duas seleções faziam partida muito equilibrada, alternando-se na liderança. Faltando 29 segundos, o Japão abriu 91 a 89 e parecia ter se aproximado da vitória, mas Iziane converteu arremesso de três e deixou as brasileiras em vantagem por um ponto. Até que no último ataque japonês, Érika de um lindo toco no segundo final e ainda sofreu a falta. Coroando de vez sua atuação, ela converteu o primeiro arremesso, errou o segundo e garantiu o triunfo brasileiro por 93 a 91.