A seleção brasileira de atletismo venceu sete das 13 provas finais na última etapa do Campeonato Sul-Americano da Argentina e se consagrou campeã. O frio de cerca de 4 graus e o vento gelado em Buenos Aires atrapalhou os atletas, mas no total, a equipe somou 488 pontos e confirmou a hegemonia de vitórias.

A Colômbia ficou em segundo lugar com 292 pontos e a Argentina em terceiro, com 214,5. No último dia de competição, os fundistas foram os grandes destaques.

Na prova dos 10.000 m masculina, deu dobradinha brasileira: Giovani dos Santos venceu, conseguindo o índice para o PAN, e Damião Ancelmo de Souza foi prata. Nos 10.000 m feminino, Simone Alves da Silva venceu e garantiu participação no PAN e no Mundial.

Na competição, a equipe masculina conquistou o seu 28.º titulo, com 238 pontos, enquanto a feminina ganhou o 29.º torneio, com 250 pontos.

A delegação brasileira levou 51 medalhas nos quatro dias, sendo 21 de ouro, 16 de prata e 14 de bronze.

O Brasil vence de forma absoluta o mais antigo Campeonato de área da IAAF, desde 1975.

Melhores atletas 

A brasileira Fabiana Murer foi a ganhadora do salto com vara, com 4,70 m, e o equatoriano Andres Chocho, que quebrou o recorde sul-americano dos 20 km de marcha em pista, com 1:20:23.8. Eles foram eleitos os atletas com melhor índice técnico da competição, que reuniu 400 participantes de 14 países (Aruba foi convidada).