Tóquio – Brasil e Sérvia e Montenegro fazem na madrugada de amanhã o jogo mais esperado da Copa do Mundo de Vôlei do Japão -que deve definir o campeão da competição. Em Tóquio, às 4h (de Brasília), uma das duas seleções perderá a invencibilidade e a que vencer irá praticamente garantir uma das três vagas para os Jogos Olímpicos de Atenas/2004.

Ontem, todas as 12 seleções do torneio tiveram o dia livre, mas Brasil, Sérvia e Montenegro, China e Tunísia fizeram questão de treinar. Depois de se instalarem no hotel da capital japonesa e almoçarem, os jogadores comandados por Bernardinho foram para uma academia. No trajeto, o grupo teve de enfrentar os lotados trens do Japão.

“Não podemos parar. Em pouco tempo teremos nossa partida decisiva, diante da Sérvia e Montenegro”, justificou Bernardinho.

No último confronto das duas equipes, os brasileiros conquistaram o tri da Liga Mundial, com vitória por 3 sets a 2. “Tenho certeza de que a que a Sérvia e Montenegro vem com tudo. Jogo com o Geric (meio-de-rede) e o com Miljkovic (oposto), no Macereta (time da Itália), e dá para sentir isso neles. Eles vão ter sempre esse gostinho de revanche”, avisou Nalbert, capitão do Brasil.

Se depender do retrospecto desde que Bernardinho assumiu a seleção, em 2001, o Brasil leva vantagem: não perdeu nenhuma vez para a Sérvia e Montenegro. Foram seis jogos e seis vitórias para os brasileiros.

Apesar da expectativa criada para o duelo, Nalbert lembrou que essa é apenas a primeira das três duras partidas que o time terá pela frente nesta fase final da competição – ainda enfrenta Estados Unidos e Japão. “O próximo jogo ainda não define nada em termos de classificação. Mas estamos pensando nele com muito carinho porque temos um objetivo: queremos ser campeões”, revelou o jogador.