O torcedor brasileiro descobrirá que seleção brasileira está na Venezuela lutando por uma vaga na final da Copa América, se a que goleou o Chile por 6 a 1, no último sábado, ou se a que na primeira fase dependeu exclusivamente do talento de Robinho para vencer.

A semifinal contra o Uruguai, às 21h50, define o primeiro classificado para a decisão da competição de seleções mais antiga do mundo, que aguardará então o confronto entre Argentina e México para conhecer seu adversário. A final será no domingo.

Se houver empate nos 90 minutos, a classificação para a disputa do título será conhecida após cobranças de pênaltis.

Dunga vai manter o esquema com três volantes e Júlio Baptista como meia armador, a mesma formação usada na goleada sobre o Chile.

Ciente de que o Uruguai é mais forte que o último adversário, o técnico exige marcação rigorosa de seu time. Quer evitar contra-ataques e as jogadas de velocidade de Forlán e Recoba.

Com a posse de bola, a seleção brasileira dará liberdade para o apoio dos laterais Maicon e Gilberto. E ao zagueiros Juan e Alex estarão sempre na área da Celeste para tentar o gol de cabeça em lances de bola parada – escanteio ou faltas laterais.