“O Brasil não é o país do futebol”. A declaração de Lamartine Pereira da Costa, membro do núcleo de pesquisas do Comitê Olímpico Internacional (COI) deixou alguns jornalistas intrigados momentos antes de sua palestra “Atlas Esportivo”, na manhã de ontem, durante o 3.º Fórum Internacional de Esportes, realizado em Florianópolis. A afirmativa poderá ser constatada no Atlas Esportivo sobre os esportes no Brasil a ser lançado em junho por Lamartine. A obra que começou a ser feita no início de 2003, será uma verdadeira radiografia sobre o segmento e revela entre outras coisas que o Brasil não é o país do futebol e sim dos esportes, segundo o autor.

Lamartine afirmou que há uma mentalidade errada das pessoas, da mídia e dos professores de educação física quanto ao esporte. “Muitos não conhecem a força das outras práticas por falta de conhecimento ou dados concretos”. Ele acentua que há um crescimento significativo em outras áreas. Os esportes radicais, segundo ele, têm cinco milhões de praticantes; o futsal, dez, e o vôlei mais de dezoito milhões. Só estes três juntos superam o futebol que tem 30 milhões de praticantes ocasionais.

Para o pesquisador, as práticas esportivas estão passando por uma mudança e o exemplo maior é a corrente que trabalha com a inclusão social, de aventura e esportes radicais e de lutas. “Alguns professores de educação física nunca trabalham ou irão trabalhar com esses esportes por falta de conhecimento ou opção, pois é mais cômodo trabalhar com o futebol. Isso é preocupante pois são segmentos que vêm crescendo e deveriam fazer parte de sua vida, já que se trata de profissionais”.

Mercado esportivo está em expansão

O Atlas terá 800 páginas e trará uma radiografia completa sobre os diversos esportes praticados no Brasil. O documento teve a participação de 400 colaboradores e de diversas entidades como o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Conselho Federal de Educação Física (Confef), Sesi e Sesc. O livro faz um inventário do esporte brasileiro desde o século 19. O estudo mostra que de 1996 a 2000, enquanto o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro aumentou 2,25%, o PIB do esporte cresceu 12,34% ou algo em torno de R$ 12 bilhões. Cerca de 60% da população do sul e sudeste praticam algum esporte e há mais de um milhão de empregos originados de alguma atividade esportiva.

Lamartine fez o pré-lançamento do Atlas ontem em Florianópolils. A obra, inédita no País, terá uma versão CD-Rom lançado em maio que visa não analisar o esporte em si, e sim mostrar a memória e dados estatísticos sobre os esportes.