Vinte anos depois de deixar a segunda divisão da Fed Cup, o equivalente feminino da Copa Davis, o Brasil não consegue se reerguer. Nesta sexta-feira, a equipe brasileira, mesmo jogando em casa, em Curitiba, foi eliminada do Zonal Americano após perder de 2 a 1 para a Colômbia, no último confronto da fase de grupos. Com isso, não conseguiu avançar à final, que será disputada por Colômbia e Argentina, no sábado.

A equipe formada por Roxane Vaisemberg (298.ª do ranking mundial), Ana Clara Duarte (408.ª), Vivian Segnini (301.ª) e a garota Beatriz Maia, de apenas 15 anos, iniciou a competição em Curitiba na terça-feira perdendo para o Paraguai por 2 a 1. Nos dois dias seguintes, conseguiu se recuperar e bateu Venezuela (2 a 1) e Bolívia (3 a 0).

Assim, chegou ao confronto desta sexta, contra a Colômbia, precisando vencer por 3 a 0. No primeiro jogo do dia, Vivian Segnini salvou dois match points, venceu Catalina Castaño por 2 sets a 1 (6/4, 5/7 e 7/6 (7/3)) e deixou o Brasil em vantagem. Logo depois, porém, Roxane Vaisemberg, número 1 do País, falhou diante de Mariana Duque-Marino (195.ª do mundo) e perdeu por 2 a 0 (7/5 e 6/0).

Como o Brasil precisava vencer por 3 a 0 o confronto para avançar à final, a derrota de Vaisemberg decretou a eliminação do País. Depois, nas duplas, Segnini e Vaisemberg perderam para Castaño e Lizarazo por 2 sets a 0, parciais de 6/2 e 6/3.

O Brasil deixou a segunda divisão da Fed Cup em 1991, disputando o Zonal Americano pela primeira vez no ano seguinte. Desde então nunca mais conseguiu se reerguer. Em 2003 e 2004, chegou a jogar a repescagem mundial, mas perdeu naquelas ocasiões para Croácia e México. Nos anos seguinte, com exceção de 2009, o País sempre conseguiu chegar à final. Desta vez, jogando pela primeira vez em casa desde 2004, nem isso.