Sufoco. Assim foi a segunda vitória da seleção brasileira sub-20 no hexagonal final do Sul-Americano, ontem à noite, em Pereira. O Brasil suou para vencer a surpreendente Venezuela pelo placar mínimo, mas assumiu a liderança. O gol brasileiro só saiu na segunda etapa. O meia Fernandinho, do Atlético-PR, cobrou falta com efeito e o atacante do Juventude, Paulinho Betanin cabeceou sem chances para o goleiro venezuelano.

O Brasil começou tocando bem a bola e dominando as principais jogadas, mas o gramado pesado e a boa marcação da Venezuela deixaram o jogo truncado. A seleção brasileira chegava, mas pecava na hora da finalização. Já os venezuelanos arriscaram mais em chutes de longe, dando trabalho ao goleiro Bruno. O Brasil criou apenas duas chances de gol. A primeira numa cabeçada de Quirino, defendida pelo goleiro Valdez. E a segunda num chute de Fernandinho, que passou perto do gol.

No segundo tempo, a partida ganhou em emoção. O Brasil voltou bem melhor e aos poucos foi envolvendo o adversário. E aos 18 minutos, vnuma cobrança de falta pela direita, Fernandinho, o capitão da equipe, meteu um "três dedos" e a bola foi parar na cabeça de Paulinho Betanin. O atacante subiu com estilo e mandou para o fundo da rede.

Depois do gol, o Brasil ainda criou várias chances, mas parou nas boas defesas do goleiro venezuelano. E no finalzinho, a Venezuela ainda quase empatou. Com seis pontos, o Brasil volta a campo domingo, novamente em Pereira, contra a Colômbia, os donos da casa.

No outro jogo da noite, a rival Argentina ficou apenas no empate, em 1 a 1, com o Chile. Os atuais campeões sul-americanos saíram na frente com Ezequiel Lavezzi, aos 37 minutos do primeiro tempo, mas o Chile empatou aos 29 min com Juan Lorca.

Ficha técnica:
Gol: Paulinho Betanin aos 18 minutos do segundo tempo.
Brasil: Bruno; Rafael, João Leonardo, Edcarlos e Filipe; Roberto Alê (Diego), Fernandinho e Renato; Rafael Sobis (Amparo) e Quirino (Paulinho Betanin). Téncico: Renê Weber.
Venezuela: Daniel Valdez; Raúl González, Grenddy Perozo, Mario Bosetti e José Luis Granados; John Ospina, Engelberth Pérez, Elías Leal (Luis Seijas) e Nicolás Fedor (Alfredo Contreras); Alejandro Guerra e Paúl Ramírez (Ronald Vargas). Técnico: Nelson Carrero.
Cartão amarelo: Quirino, Alê, Edcarlos, Engelberth Pérez, John Ospina, Raúl González, José Luis Granados, Alejandro Guerra e Mario Bosetti.
Local: Estádio Hernán Ramírez Villegas, em Pereira (COL).