De nada adiantou a armação da Confederação Internacional de Vôlei (FIVB), que colocou Brasil, Itália e Rússia no mesmo grupo da fase final da Liga Mundial para facilitar a vida dos espanhóis, que sediam a competição. Na tarde de ontem, a Espanha perdeu da República Checa por 3 sets a 1 (25/15, 25/21, 22/25 e 25/23) e está fora da semifinal da competição.

Com o resultado, os checos enfrentarão a seleção brasileira por uma vaga na grande decisão da Liga, jogo programado para amanhã. Atual vice-campeão do torneio e campeão mundial de vôlei, o Brasil luta pelo terceiro título da Liga.

Os brasileiros garantiram o primeiro lugar do grupo F com três vitórias em três jogos no grupo da morte. O time bateu a Bulgária, a Rússia e a Itália, esta em jogo disputado ontem, todos por 3 sets a 1.

Na outra semifinal, a Itália, nove vezes campeã da Liga, vai enfrentar, também amanhã em Madri, a Sérvia e Montenegro, vencedora do grupo E.

Jogo

No confronto que encerrou a participação brasileira na fase de classificação da Liga Mundial de Vôlei, o time do técnico Bernardo Rezende, o Bernardinho, voltou a se apresentar bem. Bateu a Itália, nove vezes campeã da Liga, por 3 sets a 1, parciais de 31/29, 25/21, 17/25 e 25/23.

O Brasil entrou em quadra classificado por antecipação, já que a Rússia perdera da Bulgária, também ontem, por 3 a 1. Os atuais campeões da Liga acabaram ficando de fora. Os italianos herdaram a segunda vaga do Grupo F, já que precisavam fazer apenas um set nos brasileiros para se garantir nas semifinais. Eles vão enfrentar a Sérvia e Montenegro.

Esta foi a quinta partida entre brasileiros e italianos na Liga Mundial de 2003, a equipe dirigida pelo técnico Bernardinho leva vantagem, com três vitórias e duas derrotas.

“A partida de hoje (ontem) pode ser dividida em duas partes: os dois primeiros sets foram os melhores que já fizemos durante a Liga Mundial. Já nos dois últimos, os jogadores, inconscientemente, entraram mais relaxados. Foi um jogo de erros de ambos os lados”, comentou o técnico Bernardinho. “Isso me chateia um pouco. Quero ver o time jogando 100% o tempo todo. Mas sei que, de repente, essa é até uma limitação mais minha do que dos jogadores, porque tenho consciência de que isso nem sempre é possível”, admitiu o treinador.

Mesmo a equipe brasileira não tenha apresentado o seu melhor voleibol nos dois últimos sets, o oposto André Nascimento elogiou a participação do grupo na fase final. “Jogamos a primeira metade da partida tão bem quanto no jogo de ontem (quarta-feira) contra a Rússia. Só demos uma bobeada no final. O mais importante foi que o time mostrou um grande crescimento desde que estreou nessa fase”, disse o jogador.

O líbero Escadinha endossa as palavras do companheiro e já pede concentração ao time para as semifinais. “Fizemos uma boa campanha, sem perder nenhum jogo até aqui. Mas isso já passou. Agora está tudo zerado outra vez e aqui começa um novo campeonato. Vamos nos preparar para chegar bem às semifinais”, afirmou.