O resultado dificilmente seria outro: diante da quase amadora seleção do Quênia, o Brasil estreou com uma vitória tranquila no Campeonato Mundial de Vôlei. Em pouco mais de 1h de jogo, as campeãs olímpicas fizeram 3 sets a 0, parciais de 25/15, 25/16 e 25/11.

Encarando um rival bastante fraco tecnicamente, as brasileiras também não jogaram tudo o que sabem e erraram excessivamente, especialmente pela falta de atenção na defesa no início do jogo. Ainda assim, o time de José Roberto Guimarães não foi ameaçado em nenhum momento.

O máximo que as africanas conseguiram foram ficar à frente do placar nos inícios do primeiro e do segundo set, momentos no qual aproveitaram para vibrar muito em quadra. A alegria do Quênia, aliás, foi um dos destaques de uma partida sonolenta.

Com dores devido a uma tendinite no ombro direito, a ponteira titular Natália sequer foi relacionada para a partida, assim como a central reserva Adenízia, que deixou o treino desta quinta chorando após machucar o cotovelo direito.

Com dores nas costas, a oposta Sheilla também ficou o tempo inteiro no banco de reservas. Na disputa entre levantadoras, Zé Roberto seguiu a tendências dos amistosos de preparação e preferiu Dani Lins no lugar de Fabíola.

Sendo assim, o Brasil foi escalado com Dani Lins, Joycinha, Jaqueline, Sassá, Fabiana, Thaísa e Fabbi de líbero. O Brasil volta à quadra na madrugada deste sábado para encarar a República Tcheca, às 2h30 (horário de Brasília).

Trata-se de outro adversário que não deve dar muito trabalho. Na sequência da primeira fase, as brasileiras encaram Holanda, Porto Rico e Itália. Das seis equipes do grupo, somente duas são eliminadas.