O sábado foi quase perfeito para as mulheres do judô brasileiro no Grand Prix de Tashkent (Usbequistão). Das cinco judocas do País que lutaram, quatro conquistaram medalha. E nas três categorias disputadas neste sábado, em todas o ouro ficou com uma brasileira. Apenas Mariana Silva, que foi aos Jogos de Londres, não subiu ao pódio.

Na categoria até 57kg, Ketleyn Quadros fez apenas três lutas para ficar com o ouro. Venceu todas por ippon, ficando menos do que 5 minutos no tatame. Na final, superou a norte-americana Hana Carmichael. Brasileira naturalizada israelense, Camila Minakawa chegou à semifinal, mas acabou sem medalha.

Mariana Barros aproveitou bem a chance que teve na seleção. A judoca do Palmeiras, que já havia sido campeã em Almaty (Casaquistão), na semana passada, venceu também em Tashkent na categoria até 63kg, a única em que a vaga de titular da seleção feminina ainda está em aberto. Sua concorrente, Mariana Silva perdeu duas lutas, venceu só uma, e ficou sem medalha.

Já na categoria até 70kg, revanche entre Nádia Merli e Bárbara Timo. Depois de se enfrentaram na semifinal no Casaquistão, desta vez o confronto brasileiro foi na final. E quem levou a melhor foi Timo. Uma semana antes, Merli havia vencido.

No masculino, só um brasileiro lutou neste sábado. Eduardo Bettoni perdeu logo na estreia da categoria até 90kg, para Kamoliddin Kholmamatov, do Usbequistão, e acabou eliminado. No Casaquistão, ele também havia ficado sem medalha. Os resultados preocupam a CBJ porque a entidade procura um reserva para Tiago Camilo.