A Federação Internacional de Esporte Universitário (Fisu, na sigla em inglês) anunciou nesta quarta-feira as candidatas a sediar a edição de 2019 da Universíada e revelou que Brasília é uma das cidades que pleiteiam receber o evento, considerada a terceira maior competição poliesportiva do mundo, que reúne apenas atletas universitários.

Brasília disputa o direito de sediar a Universíada de 2019 com as cidades de Baku, no Azerbaijão, e Budapeste, na Bulgária. E a capital do Brasil tenta encerrar um jejum do continente americano sem hospedar o evento – a última vez foi em 1993, na cidade norte-americana de Buffalo.

O Brasil já sediou uma edição da Universíada, a terceira, realizada em Porto Alegre em 1963. Brasília tentou receber a edição de 2017 do evento, mas a cidade acabou sendo preterida por Taiwan pela Fisu.

Agora, Brasília apresenta nova candidatura e aposta na recente atração pelo Brasil de grandes competições internacionais – o País vai sediar a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016 será no Rio – para ter êxito na nova tentativa.

Agora, as cidades devem preparar seus dossiês até o dia 14 de setembro. As visitas de inspeções das candidaturas acontecerão entre 16 de setembro e 20 de outubro. Em 9 de novembro, as concorrentes farão uma apresentação final, seguida da votação que definirá a sede da 30ª edição da Universíada.

A última edição da Universíada foi realizada na China, em Shenzhen, em 2011. O Brasil ficou na 23ª colocação no quadro geral de medalhas, com dois ouros, quatro pratas e oito bronzes. Neste ano, a disputa será em Kazan, na Rússia, entre os dias 6 e 17 de julho.

UNIVERSÍADA DE INVERNO – A Fisu também anunciou nesta quarta que as cidades de Krasnoyarsk, na Rússia, e Valais, na Suíça, se candidataram a sediar a edição de 2019 da Universíada. Neste ano, o evento será realizado entre os dias 11 e 21 de dezembro em Trentino, na Itália.