Salvador (AE) – O Brasiliense aproveitou o nervosismo do Bahia e sagrou-se campeão da Serie B do Campeonato Brasileiro ao vencer neste sábado o time baiano em plena Fonte Nova por 3 a 2. Houve catimba, atraso e muita emoção no jogo que marcou a permanência da equipe da casa na Segunda Divisão.

Não adiantou patuás, ramos de folha de arruda, imagens de santos e todo o aparato místico local levado pelos torcedores. Sem futebol, o time não fez a lição de casa e perdeu a grande chance de voltar à Primeira Divisão, pois o Fortaleza venceu o Avaí por 2 a 0 e garantiu o acesso.

Neto Potiguar ficou de cara com o goleiro Donizete na pequena área logo a um minuto, mas não conseguiu dominar a bola e marcar o gol do Bahia. Depois dessa emoção no início da partida, os torcedores passaram momentos de sufoco porque o time não conseguia furar o bloqueio do adversário. A torcida só vibrou aos 24 minutos quando soube do primeiro gol do Fortaleza contra o Avaí. Sentindo que a classificação era possível, os torcedores passaram a gritar "raça, raça". Logo depois o volante Neto se contundiu e o técnico Vadão resolveu ousar, colocando no lugar o centroavante William.

O jogo ficou dramático, pois o Brasiliense sempre atacava com perigo. A torcida só respirou no final do primeiro tempo quando, na raça, o lateral Ari conseguiu uma boa jogada pela ponta direita, tocou para Neto Potiguar na área, conseguiu enganar o zagueiro, tocar para William que fez 1 a 0 aos 40. Parecia que o time iria encerrar o primeiro tempo em alto astral. Mas a imprevisibilidade é a marca do futebol. Aos 46 Wellington Dias foi derrubado na área por Ari, um pênalti que ele mesmo bateu, fazendo 1 a 1.

Depois de ter atrasado o jogo 15 minutos no início da partida, o Bahia retardou mais 10 no segundo tempo, para esperar uma definição do jogo entre Fortaleza e Avaí. Foi difícil para os jogadores do Bahia controlarem os nervos diante de um adversário que atuava na maior tranqüilidade. E foi exatamente tocando bola que o Brasiliense chegou ao segundo gol. Possato chegou à ponta esquerda cruzou para a área e Fabrício na área completou sem deixar a bola cair no chão, fazendo 2 a 1 aos 22 minutos. O barco tricolor parecia naufragar, mas Igor em jogada individual de fora da área empatou aos 30. Contudo, a sorte não estava com o time baiano. Na cobrança de escanteio, de Wellington Dias aos 33, a zaga falhou feio e Jairo raspou de cabeça, marcando 3 a 2, selando o placar e mantendo o Bahia na segundona.

Ficha técnica

Bahia – Márcio; Ari, Leonardo, Reginaldo e Bruno; Neto (William) Rodriguinho (Luiz Alberto), Cícero e Robert; Neto Potiguar (Igor) e Rena. Técnico: Vadão.

Brasiliense – Donizete; Jamur, Jairo, Durval e Possato; Deda, Jorginho, Fabrício (Rocha) e Pituca; Val Baiano (Igor) e Wellington Dias. Técnico Edinho Nazareth.

Gols – William aos 40 e Wellington Dias aos 46 do primeiro tempo. Fabrício aos 22, Igor aos 30, Jairo aos 33 do segundo tempo.

Árbitro – Paulo César Oliveira (SP)

Cartões amarelo – Leonardo, Possato.

Cartão vermelho – Luiz Alberto.

Renda – R$ 292.370,00

Público – 37.528 pagantes

Local – Salvador, ontem à tarde.