O engenheiro inglês Ross Brawn, mais novo dono de uma equipe da Fórmula 1, parece saber das dificuldades que terá em sua primeira temporada na função. O agora proprietário da Brown GP – que assumiu o controle da Honda – previu que a escuderia terá problemas no início de suas atividades, mas nem por isso deixou de comemorar a chance de alinhar no grid para o GP da Austrália, que abre o Mundial no dia 29 deste mês.

“Nosso maior obstáculo era ter condições de correr em Melbourne, e agora já poderemos fazer isso. No começo, podemos ter problemas de confiabilidade, devido à falta de testes. Mas sentimos que o carro é bom e espero que tenhamos um desempenho respeitável”, disse.

O novo dono de equipe adotou um discurso semelhante ao de seus pares, e evitou previsões concretas sobre o desempenho da escuderia na temporada. “A primeira corrida terá 20 carros completamente novos e é sempre difícil fazer previsões. Por isso não vou nem tentar.”

“O que levaremos para Melbourne será um enorme senso de orgulho e realização, porque nosso maior desafio já foi vencido”, afirmou Brawn, que teve o mérito de convencer os funcionários da antiga Honda a continuarem trabalhando, mesmo sem saber se a equipe continuaria depois da saída da montadora.

O primeiro teste da Brawn GP aconteceu nesta sexta-feira, no circuito de Silverstone. O inglês Jenson Button foi o encarregado do trabalho; Rubens Barrichello, seu companheiro de escuderia, assistiu à movimentação dos boxes.