Um legislador britânico disse nesta terça-feira que dois membros do Comitê Executivo da Fifa foram subornados para votar no Catar no processo de escolha da sede da Copa do Mundo de 2022, realizado em dezembro de 2010. O país do Oriente Médio superou Austrália, Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul na disputa.

O membro do parlamento Damian Collins, falando a um inquérito parlamentar sobre

futebol, disse que as provas de uma investigação de um jornal, que ainda não foram publicadas, mostrariam que Issa Hayatou e Jacques Anouma, membros do Comitê Executivo da Fifa, teriam recebido US$ 1,5 milhão.

Collins disse que o Comitê de Cultura, Mídia e Esporte irá publicar as provas. “A investigação do Sunday Times deve ser publicada por nós mais tarde e revela que U$ 1,5 milhão foi pago para os membros do Comitê Executivo da Fifa Issa Hayatou e Jacques Anouma, que passaram a votar no Catar”, afirmou.