Assim como Rubens Barrichello diz não ter um contrato em mãos assinado com a nova equipe que surgirá da Honda, Bruno Senna ainda não recebeu o “Não” de Ross Brawn. Mas ele já demonstrou não acreditar mais na possibilidade de correr de Fórmula 1 nesta temporada. Está triste com a situação, mas confiante de que terá outras oportunidades de realizar seu sonho.

“Meio que me conformei já que o esquema é partir para outra. Só fico um pouco chateado por essa situação ter se arrastado por tanto tempo, o que fez com que eu perdesse melhores possibilidades profissionais”, admitiu Bruno Senna, que ainda não definiu seu futuro. “Agora vou me reunir com minha família, com orientadores e decidir que rumo tomar.”

Aos 25 anos, Bruno Senna acredita que foi “um pouco inocente” nessa longa novela para definição dos pilotos da temporada 2009 da Fórmula 1. “Tenho agora uma imagem muito diferente do que se passou. Foi um tombo na minha vida. Mas a gente passa a vida inteira levando tombos”, afirmou o jovem piloto brasileiro.

Segundo ele, prevaleceu o desejo do novo chefe da equipe que surgiu da Honda. “O Ross Brawn quer o Rubinho. Se fosse para lá, o mínimo erro que eu cometesse poderia me ferrar. Desejo entrar numa equipe onde o pessoal me queira de verdade e não nessa situação”, contou o sobrinho do tricampeão Ayrton Senna.

Sobre o futuro, Bruno Senna analisa agora suas opções – voltar para a GP2, onde não restam mais boas equipes disponíveis, parece ser difícil. “Qualquer coisa que eu fizer será um passo para trás”, reconheceu. “O importante será manter a Fórmula 1 como prioridade, manter-me próximo. Darei a volta por cima.”