Na véspera de estrear pela Eurocopa da França, Gianluigi Buffon admitiu, neste domingo, que a seleção da Itália está longe de ser favorita na competição. Mesmo assim, o veterano goleiro espera uma equipe competitiva no torneio continental.

“Há momentos em que o time tem que ser como um martelo e outros como pregos. Agora somos pregos. Mas isso não significa que sejamos vítimas. A hora da verdade chegará com a bola rolando”, comentou o goleiro quando perguntado, em entrevista coletiva, sobre o motivo de a seleção italiana não chegar como favorita à França.

“Mesmo que não sejamos favoritos, buscaremos ser muito competitivos”, acrescentou. A Itália faz sua estreia pela Eurocopa de 2016 nesta segunda-feira diante da Bélgica, em Lyon, a partir das 16h (horário de Brasília).

Líder da seleção italiana, Buffon não se esquivou de comentar os casos de violência protagonizados por torcedores de diversas nacionalidades nas cidades-sede da Euro espalhadas pela França.

“É lamentável, algo horrível que mancha esta competição. É grave que exista pessoas como estas, que não compartilham os sentimentos de festa e celebração como a grande maioria”, analisou.

O jogador de 38 anos, que participa de sua quarta Eurocopa, admite que esta seja sua última vez disputando a competição. “Não sinto nostalgia ou tristeza, somente entusiasmo. Sei bem o que representa este torneio e vestir a camisa da Itália, então quero que busquemos o melhor possível. Vamos nos doar ao máximo”, prometeu.