Durante toda a semana que antecedeu o clássico contra o Vasco, o discurso no Botafogo era de que a partida seria decisiva para definir o papel do clube na reta final do Campeonato Brasileiro. A derrota por 2 a 0 no Engenhão, neste domingo, deixou claro que a equipe botafoguense vai brigar pela classificação à Copa Libertadores, uma vez que a disputa pelo título está seis pontos acima, faltando apenas quatro rodadas para o fim da competição.

“Falhamos três vezes na busca pela liderança. A questão do título fica complicada. É hora de focar no objetivo da vaga na Libertadores”, avalia o técnico Caio Júnior, que vê o Brasileiro como melhor torneio do mundo. “O campeonato está eletrizante. Não se definiu título, Libertadores ou rebaixamento.”

O treinador lamentou o fato de o Botafogo ter levado os gols em momentos do clássico em que jogava melhor. “O jogo teve uma história muito interessante no aspecto tático. O Vasco veio para jogar no contra-ataque, com um losango no meio. Tivemos um início muito bom e a possibilidade de gol. Surgiu o gol (marcado por Fellipe Bastos), mudou a história do jogo. Entrou o lado emocional. É muito mais fácil defender ganhando. Começamos o segundo tempo razoavelmente bem. Perdemos uma bola por dentro, saiu o gol do Dedé. A equipe sentiu muito e não é fácil reverter 2 a 0”, explicou.

Na próxima rodada, quarta, o Botafogo enfrenta o América-MG, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG). O adversário vem de duas vitórias sobre Corinthians e Fluminense. Por isso, assusta. “O América é um adversário complicado, bem preparado taticamente. Vamos ter que fazer um grande jogo para buscar essa vitória”, opina Caio Júnior.C