O que a gente quer é poder agregar valor para o futebol, para a televisão, para os patrocinadores. Não queremos mais, nem menos. Mas um equilíbrio para oferecer um produto melhor. Hoje não se vende um produto bom e ele pode ser muito mais valorizado. Não queremos bater de frente com ninguém, apenas agregar ao futebol brasileiro.

O calendário de 2013 e 2014 teve que ser alterado em função da Copa das Confederações e da Copa do Mundo, mas o que a gente pede é para que ele seja discutido para 2015. A cada rodada os times sofrem, os jogos tendem a cair de nível no segundo tempo e isso é um pensamento geral, não uma desculpa individual. A nossa esperança é de que ele seja diferente a partir do próximo ano e que os atletas possam ser ouvidos. Muito se fala de preparação, departamento médico, mas não falamos de calendário. E isso não é bom para ninguém. Quem está perdendo qualidade é o futebol brasileiro. O calendário deveria respeitar as férias e preparação dos times. Esse ano por exemplo, em função desse ajuste do calendário, os times terão jogos aos finais e meio de semana de agosto a dezembro.

(Agradecimento à assessoria de imprensa do Coritiba)

Paraná Online no Google Plus

Paraná Online no Facebook