O britânico Andy Murray sagrou-se campeão do Masters 1000 de Miami neste domingo, ao bater o espanhol David Ferrer na final. Mas o novo número dois do mundo – será confirmado nesta posição na segunda-feira – não saiu de quadra plenamente satisfeito. Ele admitiu que sua atuação não foi das melhores e culpou o cansaço causado pelo forte calor.

“Foi uma partida tão difícil, poderia ter sido vencida por qualquer um dos dois, ambos estávamos esgotados fisicamente no final”, declarou. “Nenhum de nós dois jogou seu melhor tênis, mas foi bom chegar aqui (ao título) no final”, completou.

No último set, talvez por causa desse cansaço, nenhum dos tenistas conseguia confirmar o saque. Foram seis quebras nos primeiros seis games e oito no total da parcial. David Ferrer chegou a ter um match point e desafiou uma bola que foi dada como fora pelo juiz. A imagem, por fim, mostrou que a decisão dos árbitros estava correta. “Essa é a beleza do desafio. Em algumas partidas poderia ter acabado, mas isso acabou.”

Murray ainda fez questão de elogiar o rival deste domingo, que também ganhou uma posição no ranking que será atualizado na segunda – passou Rafael Nadal e é o quarto do mundo. “É muito difícil jogar contra ele. Ele tem uma grande atitude, é um grande lutador. Tenho certeza que terá muitas partidas difíceis no futuro”, disse.