A seleção brasileira feminina de vôlei começou a temporada com um grupo renovado, enquanto as principais estrelas ganharam uma folga do técnico José Roberto Guimarães. Agora, as campeãs olímpicas Sheilla, Fabi, Fabiana, Thaisa e Natália estão de volta à equipe, já treinando em Saquarema (RJ) para a disputa do Grand Prix. E comemoram o retorno para defender novamente o Brasil.

Mesmo com um grupo renovado, mas com algumas campeãs olímpicas como Fernanda Garay e Dani Lins, o Brasil venceu todos os nove jogos que fez na temporada, conquistando os títulos dos torneios de Montreux (Suíça) e Alassio (Itália). Agora, porém, o desafio é mais difícil: o Grand Prix, que acontece de 2 de agosto a 1º de setembro. Por isso mesmo, as estrelas estão de volta.

“Conversei com o Zé Roberto no final da Superliga e pedi uma folga. Estou nesse ritmo de seleção há 10 anos. Depois encontrei com ele em uma reunião na CBV. Comentei que já estava parada há um mês e não aguentava mais. Ele disse que ia precisar de todas nós esse ano e voltamos. Realmente, estava com saudade e foi bom voltar”, contou Sheilla, que se juntou à seleção nesta semana.

“Foi a primeira vez, em mais de 12 anos, que consegui tirar mais de duas semanas de férias. Foi importante para a cabeça. O retorno está sendo difícil pela parte muscular, mas isso é reflexo de um bom descanso”, revelou Fabi, que aproveitou para elogiar a renovação do grupo. “Mesmo não tendo muitas jogadoras do ciclo passado, deu para ver que as meninas novas se saíram bem.”

Sheilla também fez uma avaliação positiva do começo de temporada da equipe. “A seleção renovada ganhou duas competições preparatórias e está muito bem. Já estamos pensando no Mundial do próximo ano e nos Jogos Olímpicos do Rio (em 2016)”, disse a jogadora, ressaltando que a volta ao grupo está sendo “gradativa”. “A parte de quadra ainda vai demorar um pouco para voltar ao ritmo de antes.”