Um dos grandes incentivadores da Copa do Nordeste, o canal fechado Esporte Interativo também é um dos grandes responsáveis pelo sucesso da competição. Com a criação do Esporte Interativo Nordeste, que transmitiu todos os jogos, contou com profissionais nos sete estados, o Nordestão ganhou uma nova cara. Nesta temporada, o EI Nordeste também registrou aumento na audiência de 29% em relação ao ano passado.

“Para nós foi um grande sucesso. Foi uma aposta antiga nossa, pois ninguém acreditava nessa competição. Regionalizamos as informações com cobertura diária dos times do Nordeste. Até então, não havia um canal esportivo para a região. Para o público é importante, além de ver os jogos, contar também com informações diárias dos seus clubes. Foi um investimento muito grande que fizemos em equipamentos e em pessoal, mas já podemos colher bons resultados disso”, detalhou o diretor do Esporte Interativo Nordeste, Bernardo Ramalho.

Ainda segundo o diretor do canal, a repercussão do Esporte Interativo Nordeste e da competição já foram sentidas principalmente via redes sociais e nos canais de interatividade com os espectadores. “O movimento nas redes sociais é muito forte, principalmente com a cobrança dos torcedores para que o canal entre na grade da sua operadora de tv a cabo. Registramos boas audiências e um sucesso muito grande até agora. Este retorno positivo é importante para nós”, emendou.

Mais do que um grande negócio comercial, o Esporte Interativo Nordeste visualiza, neste espaço disponibilizado aos times da região e na cobertura diária dos clubes, uma grande oportunidade de crescimento do futebol nordestino dentro do cenário do futebol brasileiro. “A Copa do Nordeste se torna relevante por causa desse processo de estruturação dos clubes. Não é à toa que os clubes do Nordeste estão realizando boas campanhas já neste início de Campeonato Brasileiro. Acredito que, por causa da Copa do Nordeste, teremos cada vez mais times da região na Série A e a Série B com a maioria de clubes nordestinos”, projetou.

O sucesso da competição regional, segundo Ramalho, deve-se também à cultura do povo nordestino, que sempre costuma valorizar suas raízes e origens. Por isso, o diretor do EI Nordeste não pode garantir o sucesso de competições regionais de outras regiões do Brasil. “O estudo que tenho é do público do Nordeste. Eles se orgulham muito da região e isso facilita muito na questão da rivalidade entre os clubes na competição. Nos outros estados ainda há muito a dependência dos clubes e das federações”, concluiu Ramalho.