O Brasil começa hoje a briga por 12 vagas nas Olimpíadas de Atenas na modalidade de canoagem velocidade. O pré-olímpico acontece no Parque Iguaçu, em Curitiba, e conta com a participação de 17 países.

Serão realizadas as eliminatórias para as categorias K-1 500m e 1.000m, C-1 500m e 1.000m e K-2 500m e 1.000m, com a presença de cinco brasileiros. Sebástian Cuattrin disputa o K-1 500m e 1.000m. No K-2 1.000m, Cuattrin terá a companhia de Sebástian Szubski. Antônio Borges compete no C-1 500m e 1.000m e a dupla Guto Campos e Fábio Demarchi buscam uma vaga nas semifinais do K-2 500m. Guto e Fábio ganharam medalha de ouro nessa categoria no Pan-Americano de Santo Domingo, ano passado.

Para o presidente da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa,) João Tomasini, Cuattrin, Antônio e a dupla Guto e Demarchi são os brasileiros com maior chance de classificação para Atenas. “O Antônio pode entrar para a história ao conquistar a vaga no C-1, já que nunca tivemos um brasileiro na disputa de canoa em jogos olímpicos”, reforça João.

As semifinais acontecem amanhã e as finais no sábado. Apenas os campeões de cada categoria garantem vaga em Atenas. Para Tomasini, os maiores adversários do Brasil são os canoístas norte-americanos, canadenses, cubanos e argentinos. “Como é uma vaga por continente em cada categoria, a competição fica ainda mais difícil, principalmente por competirmos com os americanos, canadenses, argentinos e cubanos”, diz João.

Somente quatro países já asseguraram vaga em Atenas e justamente os maiores adversários do Brasil. O Canadá é o país com mais vagas garantidas. São dez atletas com o passaporte carimbado para Atenas K-1 1.000m e 500m masculino, C-1 1.000m e 500m masculino e K-1 500 e K-4 500 feminino.