O Paraná Clube saiu perdendo, mas conseguiu virar para cima do Ceará no segundo tempo. O cansaço nos minutos finais atrapalhou os planos do Tricolor de voltar com uma vitória de Fortaleza. A ponto de os jogadores admitirem que o maior problema foi a falta de ritmo de jogo, apesar de ele ser superado na raça.

O desgaste foi visível depois dos 30 minutos, com muitos jogadores sentindo dores nas pernas. “Ele colocaram pressão nos primeiros15 minutos e isso nos fez cansar. Mas depois que encaixou, o time foi bem”, disse o atacante Nilson, autor do primeiro gol paranista.

Mesmo com a preparação intensa, os jogadores ainda não conseguem apresentar o desempenho ideal, por conta da falta de ritmo para encarar um adversário forte por 90 minutos. Mas o problema já tem prazo para acabar. Segundo os jogadores, assim que o calendário do Paraná começar para valer o time estará pingando azeite.

A aposta agora é que a torcida seja uma das grandes forças para a próxima quarta-feira, na Vila Capanema. “Nós treinamos bastante, mas jogo não é como treino, pela intensidade maior. Aqui, o ar é mais seco, é muito quente, mas fizemos os dois gols que esperávamos e sabemos que a Vila estará lotada para conseguirmos a vitória”, disse Henrique, um dos jogadores que sofreram com cãimbras.

Mesmo com o cansaço, e perdendo a chance de voltar com a vitória, os jogadores gostaram do que apresentaram. Luisinho, autor do segundo gol do Tricolor, avisa que é apenas o começo e que o clube vai evoluir muito ainda.

“Tudo isso que conseguimos é adquirido com o treinamento. Com o tempo, vamos mostrar para aqueles que não acreditavam no Paraná que este ano vai dar o que falar”, disse o camisa 11.