O técnico Fábio Carille prometeu um Corinthians mais ofensivo para o jogo de volta da final do Campeonato Paulista contra o Palmeiras, domingo que vem, no Allianz Parque. O treinador avisou que deverá aproveitar a expulsão de Clayson e a semana livre, sem jogos, para elaborar uma tática para reverter a vantagem do rival, que veceu o duelo de ida por 1 a 0.

“Não vou poder entrar com dois meias por dentro, porque terei de ser mais agressivo. O Corinthians, dos últimos dez títulos, nove tinha esse jogador, só a Libertadores que não. Estamos muito consciente das nossas necessidades”, comentou o treinador.

Sobre as polêmicas ocorridas no clássico e as expulsões de Clayson e Felipe Melo, o treinador lamentou as confusões e explicou o motivo de ter acompanhado tudo de longe. “É uma questão de aprendizado, que eu tive com meus pais. Confusão e provocação não levam a nada. Trabalhei para evitar isso, mas ali no momento é difícil. A prova foi o Nenê (no clássico com o São Paulo), eu estava bem tranquilo e se eu quisesse dava confusão”, comentou.

Carille ainda preferiu não fazer críticas ao trabalho do árbitro Leandro Bizzio Marinho. “Não tenho nada para falar da arbitragem. Ele foi muito bem o campeonato inteiro. Só depois quero ver quanto tempo a bola rolou, porque fiquei com a impressão de que foi muito pouco”, analisou.

Um dos motivos do Corinthians não ter conseguido criar muitas chances de gol foi a boa marcação do Palmeiras sobre Rodriguinho. Carille acredita ser natural que o meia acabe sendo mais visado pelos rivais. “Não é que o Rodriguinho é facilmente marcado, é que se vou jogar contra o Corinthians, eu marco ele também. Hoje (sábado) ele foi um pouco prejudicado porque eu o trouxe para trás, para ajudar na marcação”, comentou.

O elenco do Corinthians folga neste domingo e na segunda-feira, retornando aos treinamentos na terça à tarde. Para o segundo jogo com o Palmeiras, o único desfalque é o atacante Clayson. Jadson, Romero e Pedrinho são os candidatos a assumir a vaga.