“É disso que o povo gosta”. O bordão escolhido pelo ex-locutor Carneiro Neto quando narrava os gols do Trio de Ferro, e que é bastante conhecido entre as torcidas de Athletico, Coritiba e Paraná, virou o nome do sétimo livro do jornalista esportivo e advogado Carneiro Neto. São 55 anos de carreira relatados nesse livro, que traz também histórias, fatos e acontecimentos neste período da sua carreira e que será lançado nesta terça-feira (29), às 18h, na Livrarias Curitiba do ParkShopping Barigui.

O livro conta toda a trajetória de Carneiro Neto no mundo do jornalismo esportivo paranaense. Desde fatos marcantes e jogos inesquecíveis, até imagens inéditas de grandes coberturas esportivas no Estado do Paraná e também pelo Brasil e até pelo mundo. Polivalente, o jornalista esportivo revela detalhes dos trabalhos feitos nos diversos meios de comunicação que trabalhou. Seja jornal, rádio ou televisão.

+ HISTÓRICO! Carneiro Neto fala da carreira em entrevista ao podcast De Letra!

Narrador de jogos de botão quando era criança, Carneiro ganhou sua primeira oportunidade em Ponta Grossa, na Rádio Clube. Foi rádio escuta, mas com o dom da oratório e da escrita, logo se tornou repórter. Veio para Curitiba trazido por Aloar Ribeiro e foi parar direto na redação da Tribuna do Paraná, onde ficou por quatro anos. Mas mesmo jovem, além do rádio, tinha o domínio da escrita e também passou a trabalhar na TV Iguaçu.

A partir de 1970 se tornou narrador e entrou de cabeça nesse mundo. Naquele momento, um sonho se tornava realidade e o radialista passou a ser, por muitos anos, uma das vozes mais conhecidas do rádio paranaense. Começou transmitindo jogos das categorias de base, mas logo se tornou o melhor locutor do Estado. Não demorou muito para que o bordão “é disso que o povo gosta” fosse lançado e virasse a marca registrada de um dos maiores locutores do nosso futebol.

“Em 1971, era um jogo do Coritiba, com o Couto Pereira lotado. Não lembro o jogo, mas era uma partida difícil. O Coritiba fez o gol, estou narrando, aquela multidão na minha frente e, ao gritar o gol, eu falei: é disso que o povo gosta. Porque o povo gosta disso mesmo e isso ficou. Lancei despretensiosamente e pegou de tal forma, ficou tão forte e ficou consagrado de minha autoria que ninguém conseguiu roubar e imitar”, comentou.

Carneiro Neto, além de estar presente em vários cantos do mundo junto com os times paranaenses ou cobrindo grandes eventos, também participou de momentos marcantes do rádio esportivo paranaense. Foi ele que, criou a Rádio Banda B, em parceria com a CBN, para dar alternativas para a transmissão de jogos dos principais times da capital que estavam em campo simultaneamente contra grandes adversários.

+ Confira todas as notícias do futebol paranaense!

O jornalista, na verdade, é um patrimônio histórico da crônica esportiva paranaense. Estudioso, tornou-se também membro da Academia Paranaense de Letras e atualmente é comentarista da Rádio CBN e colunista do jornal Gazeta do Povo. Quando fala sobre sua história, dá uma verdadeira aula e que pode ser acompanhada agora com o lançamento do livro.

“É uma profissão muito bonita, muito positiva. Tive tudo o que consegui graças ao rádio, à imprensa. Conheci o mundo e não teria essa condição em outra função. Acho que desempenhei meu papel e fechei bem o ciclo. Como diz o último trecho do livro: ‘fecham-se as cortinas profissionalmente’”, concluiu ele.