A Corte Arbitral do Esporte (CAS) negou o pedido do marchador italiano Alex Schwazer para interromper sua suspensão provisória por doping. Classificado para o Rio, o campeão olímpico da marcha atlética de 50 quilômetros em 2008, em Pequim, havia apelado ao órgão às vésperas dos Jogos , mas ouviu a negativa nesta terça-feira.

Schwazer foi flagrado pela segunda vez na carreira pelo uso de doping no dia 12 de maio, depois que a Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF) pediu que fosse reavaliada uma amostra do atleta do dia 1.º de janeiro, que havia dado negativo inicialmente. Neste novo teste, foi encontrado traços de esteroides e o italiano foi suspenso provisoriamente no último dia 8.

Tanto Schwazer quanto seus advogados negaram o doping e apontaram peculiaridades deste caso no fim de junho. “É estranho. Um teste em janeiro que havia dado negativo e, em maio, depois que ele ganha em Roma, vira positivo com substâncias anabolizantes que não tem nada a ver com esportes de resistência. Alex não tem nada a ver com este caso. Nós vamos lutar com todas as nossas forças para que a verdade venha à tona”, garantiu o advogado Gerhard Brandstaetter.

Os argumentos do atleta e seus representantes não foram suficientes para a CAS, que manteve a suspensão provisória. O órgão ainda prometeu conduzir rapidamente “um procedimento arbitral, para que uma decisão final sobre o caso possa ser finalizada o mais rápido possível”.

Schwazer já havia sido suspenso por 45 meses por doping antes da Olimpíada de Londres, em 2012, quando foi flagrado no exame antidoping pelo uso da substância EPO e admitiu o doping. De volta às competições este ano, o italiano venceu os 50 quilômetros do Mundial de Marcha Atlética em Roma, em maio, o que lhe garantiria nos Jogos do Rio se sua amostra não tivesse sido reavaliada dias depois.