Quase dois meses depois do acidente envolvendo o jogador do Corinthians, Guilherme de Cássio Alves, em que morreram duas pessoas em Marília (450 quilômetros de São Paulo), o Instituto Médico Legal da Capital ainda não tem o resultado do exame toxicológico de Fabiano Travain Pardo, de 26 anos, que estava no carro.

Fabiano foi quem assumiu, logo após o acidente, que estava na direção do BMW que bateu de frente com um Escort de Marília, na contramão de direção. Por isso passou pelo exame toxicológico em lugar de Guilherme, que na verdade era o motorista. Ontem, o delegado titular do 4o Distrito Policial, Wilson Frazão, disse que ainda não recebeu o resultado do exame e por isso não marcou os depoimentos de Fabiano Pardo e de Guilherme.