Seogwipo (AE) – A cautela passou a dominar o tom dos comentários dos integrantes da seleção da Alemanha a respeito de seu adversário, os Estados Unidos, do jogo de sexta-feira, em Ulsan, pelas quartas-de-final. Mesmo decididos a dedicar a vitória a Fritz Walter, campeão na Copa de 1954 e um dos principais jogadores do futebol do país, que morreu segunda-feira, os alemães são precavidos em suas entrevistas. “Todos sabemos que devemos jogar melhor”, reconheceu o técnico Rudi Voeller, que conta reforçar o time com a volta de Christian Ziege, Dietmar Hamann e Carsten Ramelow – Metzelder, contundido no tornozelo, ainda é dúvida. “E devemos isso a Walter.”

Os alemães vão homenagear seu herói da forma que pretendiam: a Fifa autorizou ontem os jogadores a utilizarem uma tarja negra no braço, em homenagem póstuma. Voeller reconhece que o jogo vistoso e descompromissado dos norte-americanos, combinado com sua boa forma física, impõe respeito.