Em julho do ano passado, o Paris Saint-Germain desembolsou 64 milhões de euros para fazer de Edinson Cavani, até então no Napoli, a contratação mais cara da história do futebol francês. Apesar de todo o esforço, o time parisiense pode ver o atacante se transferir muito antes do fim do contrato de cinco temporadas assinado por ele, como o próprio jogador admitiu nesta terça-feira.

Em entrevista ao jornal francês L’Equipe, Cavani não escondeu a insatisfação com a posição que ocupa atualmente na formação tática utilizada pelo técnico Laurent Blanc, e disse que para seguir no Paris Saint-Germain “algumas coisas terão que ser feitas de forma diferente”.

Perguntado se já havia alertado o clube sobre essa insatisfação, o uruguaio se esquivou e preferiu deixar tudo na base da especulação. “Por enquanto, vamos terminar a temporada. Estou bem em Paris, mas sem dúvida é certo que precisa conversar com o clube”, comentou.

Cavani foi contratado depois de ter sido o artilheiro do Campeonato Italiano da última temporada, com 29 gols. Em 35 partidas pelo PSG, já marcou 21 vezes, mas se mostrou insatisfeito com a forma de a equipe atuar. Com Ibrahimovic centralizado, o uruguaio é obrigado a cair pela ponta esquerda, o que faz com que jogue mais distante do gol.

“Para um atacante acostumado a terminar as jogadas, a marcar gols, agora ter que fazer outras funções não é fácil. Tenho uma função mais defensiva. Eu cheguei com outras ideias, com outra visão da situação, da equipe e do clube”, disse o jogador, que ainda apontou que “com o tempo começa a ser pesado” atuar nesta nova posição.

Antes de ser confirmado como reforço do time parisiense em julho, Cavani era fortemente especulado no Chelsea e no Manchester City. E o futebol inglês parece mesmo a primeira opção do uruguaio caso seu casamento com o PSG realmente se encerre. Perguntado se há alguma chance de se transferir para o país, ele se disse “muito atraído” por esta possibilidade.