A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) anunciou nesta quarta-feira que irá prestar uma homenagem, em conjunto com o São Paulo Futebol Clube e o Panathlon Club de São Paulo, a Adhemar Ferreira da Silva no próximo dia 19. Bicampeão olímpico do salto triplo, com os ouros obtidos em Helsinque-1952 e Melbourne-1956, o ex-atleta falecido em 2001 ganhará uma placa no cemitério onde foi sepultado, aos 73 anos de idade.

Dono de cinco recordes mundiais do salto triplo na década de 1950 e maior nome da história olímpica do País no atletismo, ele receberá a homenagem, 15 anos após a sua morte, no Cemitério Chora Menino, em Santana, na zona norte da capital paulista, a partir das 11h30 do próximo dia 19.

Anteriormente, Adhemar Ferreira da Silva foi homenageado durante os Jogos de Sydney-2000, quando recebeu a Ordem do Mérito Olímpico do Comitê Olímpico Internacional (COI). Nesta nova homenagem ele receberá uma placa com informações exaltando a sua carreira e legado para o esporte brasileiro.

O São Paulo, que fará a homenagem em parceria com a CBAt e foi um clube defendido por Adhemar em sua carreira de atleta, tem duas das estrelas presentes em seu uniforme em referência a dois feitos do ex-saltador: os recordes mundiais que ele conquistou durante a Olimpíada de Helsinque, em 1952, e depois nos Jogos Pan-Americanos da Cidade do México, em 1955. Adhemar foi, por sua vez, tricampeão do Pan ao subir ao topo do pódio em Buenos Aires-1951, no México e em Chicago-1959.

Na nota oficial publicada nesta quarta-feira, o presidente da CBAt, José Antonio Martins Fernandes, o Toninho, ressaltou que “toda homenagem a Adhemar é justa, pois ele foi um atleta exemplar, que elevou nome do País pelas pistas do mundo”.