A CBF estuda a possibilidade de entrar com um pedido formal junto à Fifa para reverter o cartão amarelo dado a Thiago Silva na partida contra a Colômbia. A punição, considerada injusta pela comissão técnica do Brasil, tirou o capitão da semifinal contra a Alemanha, nesta terça-feira, em Belo Horizonte. Pelas regras da Copa do Mundo, todos os cartões são anulados depois dos jogos das quartas de final desde que o atleta pendurado não receba nova advertência, como ocorreu com o zagueiro brasileiro.

A CBF fará um apelo à comissão de arbitragem da Fifa para que pelo menos seus delegados analisem com carinho as imagens da jogada em que Thiago Silva foi punido. Ocorreu no segundo tempo, quando o Brasil atacava a Colômbia em jogada de bola parada, que acabou nas mãos do goleiro Ospina. O colombiano não viu que o capitão brasileiro estava atrás dele na hora de repor a bola em jogo. Ao fazer o movimento do chute, deixou a bola no ar. Foi nesse instante que Thiago tomou-lhe a frente. Ospina ainda chutou o defensor brasileiro na continuação do movimento. A bola sobrou limpa para o zagueiro chutá-la para o gol.

Na visão do árbitro espanhol Carlos Velasco Carballo, o zagueiro cometeu infração e como impediu o que seria um “lançamento” do time adversário, recebeu o cartão amarelo. A cartilha de arbitragem da Fifa permite a contestação das seleções que se sintam prejudicadas por uma advertência de jogo, mas não há qualquer caso em Copas, de acordo com informações da CBF, em que a punição tenha sido modificada.

Além de capitão do Brasil, Thiago Silva é peça importante no esquema de Felipão. Foi dele um dos gols da seleção na vitória sobre a Colômbia, em Fortaleza. Seu reserva imediato é Dante.