Porto Alegre – O Internacional anunciou ontem a volta de Celso Roth ao comando do time, quatro anos depois da primeira e vitoriosa passagem do técnico pelo Beira-Rio. O clube, que havia dispensado Guto Ferreira na noite de domingo, chegou a tentar convencer Luiz Felipe Scolari, a quem teria oferecido R$ 150 mil mensais de olho na mobilização da torcida e no retorno que o investimento daria à atual campanha de aumento do quadro social. Como Felipão não aceitou, a direção voltou-se para Celso Roth, que estava desempregado e que também tem um perfil disciplinador para impor ordem aos constantes atritos vividos nos vestiários colorados.

Roth dirigiu seu primeiro treino como novo técnico do time ontem. Ao chegar, disse que o grupo é qualificado e tem condições de ser campeão, mas reconheceu que terá de mostrar trabalho em pouco tempo. A primeira missão de Roth será dominar um grupo rebelde e que já causou a queda de Ivo Wortmann e de Guto Ferreira.

O centro das atuais polêmicas no Beira-Rio é o atacante Fernando Baiano, que tem entre suas brigas tornadas públicas uma troca de tapas e empurrões com o zagueiro Ameli na fase decisiva do campeonato gaúcho, palavrões ditos contra Guto Ferreira após ser substituído num amistoso contra o Criciúma, e recentes conflitos, que teriam chegado a agressões, com o volante Claiton no jogo com o Botafogo, e com o auxiliar técnico Lisca no intervalo do empate com o São Paulo. Na semana passada, Fernando Baiano saiu de um hotel no Rio de Janeiro com Júnior Baiano e não apareceu para embarcar de volta a Porto Alegre. O zagueiro foi demitido. Por suas qualidades de artilheiro, o atacante foi multado em 40% de seu salário e fica no clube, pelo menos até Roth tomar conhecimento do que ocorre nas concentrações.

Apesar de ter dado o título gaúcho de 2002 ao Internacional, depois de quatro anos de jejum, Guto Ferreira não resistiu aos recentes maus resultados. A torcida esqueceu logo a invencibilidade de nove jogos no campeonato gaúcho e amistosos quando o time estreou com derrota para o Flamengo, no Beira-Rio, no campeonato brasileiro, e passou a pedir a cabeça do técnico.

Antes de Guto Ferreira, Roth havia sido o último campeão pelo Internacional, tendo levado o clube ao título gaúcho e ao terceiro lugar no campeonato brasileiro de 1997, a melhor campanha do colorado desde o vice-campeonato de 1988. Naquele ano o time conseguiu uma goleada histórica sobre o rival Grêmio, por 5 a 2, no estádio Olímpico.

Em 17 meses de Internacional, Roth conquistou 46 vitórias e 25 empates. Foi derrotado 15 vezes. Depois daquela fase, encerrada em junho de 1998, quando perdeu o campeonato gaúcho para o Juventude, Roth treinou o Grêmio, Sport Recife, Palmeiras e Santos, entre outros clubes.