A Escócia deixou para o último dia de 2016 o clássico mais aguardado dos últimos anos. De volta à elite após ser rebaixado à quarta divisão por dívidas, o Glasgow Rangers não recebia o Celtic em seu estádio pelo Campeonato Escocês desde março de 2012. E no reencontro, o visitante levou a melhor, vencendo de virada, por 2 a 1.

O clássico entre Rangers e Celtic, conhecido como Old Firm, é considerado o de maior rivalidade no mundo. Não só por ambos brigarem pelo posto de principal time da Escócia, mas porque os rivais dividem o país também religiosa e ideologicamente. O Rangers é ligado à igreja anglicana e, consequentemente, à Grã-Bretanha. Já o Celtic representa o setor católico da Escócia e, também, da Irlanda.

Soma-se a esta rivalidade o atual momento dos dois clubes. Com o Rangers tendo que renascer na quarta divisão, o Celtic é o atual pentacampeão. Além disso, venceu por 5 a 1 o jogo do primeiro turno, em setembro, e por 1 a 0 pela Copa da Liga, também no Hampden Park, em outubro.

Desta vez, o Rangers até saiu na frente, com o polêmico Kenny Miller, escocês que disputou seu primeiro clássico no ano 2000, pelo Rangers, jogou pelo Celtic, e voltou para ajudar o Rangers na segunda divisão. Ele foi só o quinto jogador, desde a Segunda Guerra Mundial, a atuar pelas duas equipes.

A torcida do Celtic, porém, riu por último. Primeiro, com gol de Dembélé, o quinto dele sobre o Rangers só este ano – os times também se enfrentaram pela Copa da Liga. Depois, com o gol da virada, marcado por Scott Sinclair, destaque do Celtic na temporada.

Com a vitória, pela 21.ª rodada, o Celtic chegou aos 58 pontos, mas tem um jogo a menos. O Rangers é o segundo colocado, com apenas 39. O torneio tem 33 rodadas e os seis primeiros avançam para um hexagonal de turno único. Os pontos, porém, são levados da primeira fase. Com só um empate em 20 jogos, o Celtic venceu as últimas 15 partidas do torneio.