O curioso patrocínio do cemitério Memorial Parque das Araucárias na camisa do Paraná no jogo de hoje, contra o Oeste, não é nem de longe um dos mais inusitados, para não dizer bizarros, do futebol paranaense. Permitidos desde1982, os anúncios nas camisas dos times de futebol em muitos casos já chamaram mais a atenção do que o próprio time.

Entre os mais recentes está o próprio Paraná. Em 2006, o Tricolor derrotou o Vasco por 2 x 1, no Pinheirão, e na ocasião assumiu a vice-liderança do Campeonato Brasileiro. Só que, historicamente, o fato foi ofuscado pelo patrocinador paranista. Para aquela partida, o clube havia acertado com as Óticas Diniz, que resolveu inovar e colocou sua marca em toda a frente da camisa, não cobrindo apenas o símbolo do Paraná e o fornecedor de material esportivo.

Em 2009, o Coritiba também entrou para o hall de patrocínios bizarros. No ano do centenário, o clube promoveu várias festas para comemorar a data. Uma delas seria um show da Cláudia Leitte e da banda Skank. Para divulgar o evento, o Coxa resolveu estampar na camisa a data e o nome dos cantores, sendo a baiana na frente e os mineiros nas costas. Até aí tudo bem, nada de muito excepcional, desde que os shows tivessem acontecido. Só que os eventos nunca se realizaram.

Primeiramente, a festa estava marcada para o dia 19 de setembro, conforme era estampado na camisa coxa-branca. Porém, por conta de mudanças na tabela do Brasileirão, a data foi alterada para o dia 15 de novembro, já sem o Skank e com a dupla sertaneja Jorge & Mateus. Mas devido à falta de recursos por parte da empresa investidora, o show acabou cancelado.

Mundo afora

Porém, patrocínios criativos não são privilégio apenas do futebol paranaense. Pelo contrário. No Brasil, e até mesmo no exterior, já ocorreram bizarrices que se alguém contar, ninguém acredita. Em 1986, o Palmeiras disputou um clássico contra o Corinthians, estampado a marca da Galeria Pagé, um conhecido camelódromo por vender produtos falsificados. Já em 2000, o Santos teve como patrocínio a Alpha Club, empresa que foi acusada de ser um esquema de pirâmide financeira. No Nordeste, atualmente, quem mais chama a atenção é o River Plate-SE, que é patrocinado pela banda de Forró Calcinha Preta.

Fora do Brasil, as inovações são, talvez, ainda maiores. Casas de apostas, por exemplo, são fortes patrocinadores. Em 2004, o Atlético de Madrid, da Espanha, estampou um anúncio do lançamento do filme Homem-Aranha 2. Mas, com certeza, ninguém supera o futebol grego.

No ano passado, em séria crise financeira, os times locais precisaram apelar em busca de dinheiro. Dois deles, semiprofissionais, buscaram a solução em um segmento um tanto quanto incomum. Nos moldes do Paraná, o Paleopyrgo acertou com a funerária Karaiskaki, enquanto o Voukefalas foi mais além e expôs um bordel de luxo, o Soula, em sua camisa.