O Chelsea confirmou nesta terça-feira que entrou em acordo com o técnico brasileiro Luiz Felipe Scolari sobre a rescisão de seu contrato, após anunciar a demissão do treinador na segunda. Como Felipão cumpriu apenas sete meses dos dois anos de vínculo estabelecidos com o clube inglês, ele teria direito a uma multa rescisória estimada em R$ 50 milhões.

Para se livrar da multa, o Chelsea preferiu um acordo com o brasileiro e sua comissão técnica, que incluem o auxiliar Flávio Teixeira, conhecido como Murtosa, o preparador físico Darlan Schneider e o treinador de goleiros Carlos Pracidelli. Apesar de o clube londrino não ter divulgado o valor do acordo, estima-se que seja em torno de 7,5 milhões de libras (R$ 25 mi).

Com a saída de Felipão, o auxiliar Ray Wilkins assumirá interinamente o comando do Chelsea na partida do próximo sábado, contra o Watford, pelas oitavas-de-final da Copa da Inglaterra. A intenção do clube inglês, porém, é contratar o técnico holandês Guus Hiddink, atualmente à frente da seleção russa. Se for para Londres, o treinador já avisou que acumulará as duas funções.