Atual sensação do Campeonato Paranaense, o Cianorte lidera com o melhor ataque e o artilheiro da competição. É com essas credenciais que o Leão do Vale recebe o Atlético, domingo, no Noroeste do Estado. No time, só não cabe euforia. A diretoria prefere manter a cautela e joga a responsabilidade para o Furacão. “Vamos disputar o jogo, mas não dá nem pra afrontar. O Atlético tem responsabilidade”, disse o diretor de futebol Adir Kist.

O dirigente destaca que o Estadual é um campeonato longo e que foram jogadas apenas quatro rodadas, de 22. “Se você não se concentrar um pouco, em uma semana vai do céu ao inferno”, afirmou, antes de completar: “A cidade está eufórica, mas nós estamos com os pés no chão.”

Na partida de quarta-feira, o Cianorte venceu o Rio Branco por 7 x 1. Ironicamente, o atacante Henrique, artilheiro do Estadual (5 gols), não balançou as redes. Algo que, para o diretor do Leão, engradece a força do grupo. “Ontem [quarta-feira] nosso goleador não fez nenhum gol e nós fizemos sete”, destacou, lembrando que contra o Atlético estarão disponíveis o atacante João Paulo, ex-Cruzeiro, e o meia-atacante Washington, ex-Figueirense.

Invictos

A partir de 2003, pelo menos cinco grandes arrancadas invictas ocorreram entre os times do interior no Estadual. O Paranavaí de 2003 somente perdeu a invencibilidade na final, contra o Coritiba. A Adap de Campo Mourão, vice em 2006, perdeu na 6.ª rodada. No ano seguinte, o Adap Galo foi derrotado apenas na 13.ª rodada e o Londrina de 2008 na 7.ª. O próprio Cianorte, em 2009, só caiu na 10.ª rodada do campeonato.