A crise ética que abalou o ciclismo mundial após o caso Lance Armstrong teve seu reflexos também aqui no Brasil. Técnico da seleção de ciclismo de estrada, Antonio Carlos Silvestre foi desligado de suas funções após acusar atletas da seleção de competirem dopados quando representam seus clubes.

A denúncia foi feita durante a edição do último domingo do programa “Fantástico”, da Rede Globo. Na ocasião, Silvestre questionou a queda de rendimento que os atletas sofrem quando vão para a seleção, afirmando que isso aconteceria porque nos clubes eles competem dopados.

Em comunicado oficial emitido nesta quarta-feira, a Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) confirmou o afastamento do técnico.