Na meta volante, “Tereza” garante a liderança.

Em ritmo alucinante e recheada de pegas, começou ontem a 8.ª edição da Volta Ciclística do Litoral Paranaense, o maior evento do ciclismo no Paraná, que nesta temporada está sendo monitorada para que em 2004 seja um evento internacional. Com a participação de 112 dos melhores atletas da modalidade no Brasil, a volta teve como vencedor dos 144 km da primeira etapa o paulista Armando Camargo, que corre pela equipe Brasil “A”.

Ele completou, junto a um pelotão formado por outros 43 competidores, seguido pelo líder da volta, o paranaense de Londrina, Emerson Silva, o Teresa, da equipe Memorial-Santos, que recebeu a bonificação de 3 segundos por ter vencido a meta volante, no quilômetro 30 da etapa inaugural. Na somatória das bonificações da meta com a chegada da etapa, Emerson veste na etapa de hoje, pela primeira vez na prova, a camiseta amarela de líder da volta.

O terceiro lugar ficou com Daniel Soeiro, da Caloi-Suzano, seguido pelo catarinense Soelito Gohr (Brasil A), e do paranaense José Aparecido Santos, da Caloi-Suzano.

Entre as equipes, a liderança é da Caloi, que teve um maior número de atletas entre os primeiros colocados. Em segundo está o time formado pelos atletas da seleção brasileira A. O terceiro lugar é do time catarinense de Tubarão, seguido por Memorial A e Spider/Protek/Smel Curitiba.

Acidente

“A ausência de muitos favoritos no sprint final foi causado por uma queda do então pelotão principal, a dez quilômetros da chegada”, revela o diretor-geral da prova, Gilson Armstrong. Numa disputa muito acirrada entre os então líderes, na altura do trevo entre a BR-277 e a rodovia Alexandra-Matinhos, houve uma precipitação para alcançar a fuga (quando um ou mais ciclistas escapam do primeiro pelotão) de André Pullini e Patrick Azevedo. “Os integrantes da Memorial estavam preparando o ataque aos líderes, quando aconteceu a queda. Como estavam muito próximos, o resultado foi uma queda envolvendo cerca de vinte ciclistas”, explicou Adir Romeo, chefe da arbitragem da Volta do Litoral.

A etapa de hoje, considerada a mais difícil da volta, terá 123 km com o trecho mais pesado na subida da Estrada da Graciosa. Antes porém, a caravana da Volta do Litoral vai “passear? pelas rodovias entre Paranaguá e Pontal do Paraná, até chegar a Morretes, próximo à subida da Serra do Mar via Graciosa.

Surpresa

O segundo lugar da equipe formada pelos atletas da seleção brasileira de pista, que está treinando em Curitiba desde o início de maio, não foi surpresa para Iverson Ladewig, técnico que está comandando a preparação dos ciclistas com vistas ao Mundial B e ao pan-americano de agosto, em Santo Domingo.

“Na verdade eles estão correndo relaxados, sem buscar a vitória a todo custo, mas como encerramento da segunda fase de treinamento. Relaxados eles rendem mais, e estão mostrando um ótimo momento”, ponderou Iverson.

Em 2004, a prova será internacional

O Paraná está a três dias para inscrever em seu calendário sua primeira prova ciclística no calendário internacional. No ano em que completará 50 anos de existência, a Federação Paranaense de Ciclismo (FPC) poderá comemorar um novo momento em sua história em relação ao ciclismo mundial.

A 8.ª edição da Volta Ciclística do Litoral Paranaense, com a avaliação do seu primeiro dia, recebeu nota 10 do comissário internacional, o colombiano César Sanchez, quanto aos aspectos: desenrolar técnico-administrativo, e o grande trabalho dos árbitros nacionais.

César, indicado pela União Ciclística Internacional (UCI) para avaliar o evento, considerou o trecho escolhido pela direção de prova de rara beleza. Para ele, a topografia da volta ciclística, expõe de forma ímpar a grandeza da Mata Atlântica. Ele também considerou positiva a acolhida do Clube Datarro de Ciclismo, o promotor do evento.

Na reunião técnica de quarta-feira, na Universidade do Esporte, foi direto: “O Brasil passará para a história como o País de maior quantidade de eventos ciclisticos internacionais da América, incluídos no calendário internacional a partir de 2004.

Para Cesar Sanchez, o evento de ontem apresentou um considerável nível técnico, com o que concorda o comissário continental Marco Barbosa (de Londrina), presidente do colégio de comissários. A etapa de hoje teve 142,6 km, foi concluída pelo líder 3h08min31s, com média horária de 45,385 km/h.

A etapa de hoje terá 122 km, saindo de Paranaguá, passando por Praia de Leste, Matinhos, Morretes, finalizando com a difícil subida da Estrada da Graciosa, num trecho íngreme de 12 km.(Adir Romeo – especial para O Estado).