Campeão dos 100 e 50 metros no Mundial de Esportes Aquáticos, em Roma, o nadador César Cielo ainda não está satisfeito com os feitos conquistados em sua carreira. Em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, Cielo disse nesta segunda-feira que não se vê no auge. Ao contrário, o medalhista olímpico de ouro em Pequim pretende treinar ainda mais para seguir melhorando o seu desempenho.

“Eu não me vejo no topo. Toda vez que bato um tempo eu acho que posso fazer melhor”, admitiu o nadador. “Eu não cheguei até aqui por sorte ou por acaso não, é muito trabalho. Eu estou ciente disso e vou treinar cada vez mais, pois é isso que eu sei fazer. Eu conheço bem o caminho das pedras e vou fazer o possível para continuar por cima.”

Como exemplos, Cielo citou dois ídolos esportivos: o golfista norte-americano Tiger Woods e o tenista suíço Roger Federer, recordista em conquistas de Grand Slams. “Ele [Federer] é o cara que ganha há um tempão e eu quero isso para mim”, disse Cielo, lembrando o número 1 do mundo no esporte.

Na entrevista, Cielo opinou ainda sobre a polêmica do Complexo Aquático Júlio Delamare, no Rio, que pode ser demolido por causa das obras no entorno do Estádio do Maracanã para a Copa de 2014. “Se não for preservado, que façam outra piscina do mesmo nível para a gente, para não ter só o Maria Lenk ou o Delamare”, afirmou. “Acredito que o Delamare possa ser o melhor complexo do Brasil.”

Sobre o futuro, o nadador brasileiro também revelou que está negociando novos patrocínios. O objetivo é obter apoio financeiro até a disputa dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012. “O Brasil está bem atrás em relação ao incentivo dos atletas. Dá para melhorar muito, não só por parte do governo como das empresas, que poderiam acreditar mais nos atletas e patrocinar”, criticou Cielo.