Consumido pela ansiedade, o nadador brasileiro César Cielo afirmou que dormiu pouco mais de quatro horas na noite anterior ao dia em que bateu o recorde mundial dos 50 metros livre, nesta sexta-feira pela manhã, no Clube Pinheiros, em São Paulo, ao cravar a marca de 20s91 no Torneio Open de Natação.

Com o feito, Cielo superou a marca mundial que pertencia ao francês Frederick Bousquet, de 20s94. Ao comentar o fato, o nadador lembrou que a ansiedade é um problema que afeta até mesmo os maiores campeões do esporte.

“Eu fui dormir às 11 horas (23 horas de quinta-feira), acordei às três e meia da manhã e tomei uma TNT (marca de bebida energética) para acordar de vez. Às cinco da manhã eu estava no computador ainda. Eu falei pra minha mãe que achei que iria dar (para quebrar o recorde), mas eu dormi quatro horas hoje (sexta-feira), de ansiedade. E, para o pessoal que está assistindo, sendo campeão olímpico e campeão mundial, eu digo que a gente fica ansioso do mesmo jeito. Graças a Deus deu certo. E estou muito contente de terminar o ano desse jeito”, ressaltou Cielo, em entrevista ao SporTV, logo depois de bater o recorde mundial.

O brasileiro também afirmou esperar que o seu novo recorde mundial – ele também é recordista dos 100 metros livre – possa fazer a natação do País colher frutos no futuro, tendo Cielo como inspiração para buscar resultados expressivos.

“Esse ano eu foi usar de molde para o resto da minha carreira. Espero que o Brasil também aprenda com isso. Hoje estamos colhendo os frutos de um passado em que se sofre bastante”, reforçou.