Campeão foi o mais rápido ontem.

O indício de uma grande disputa pela vitória na última etapa da temporada de 2003 da Fórmula Truck foi mostrado nos treinos de ontem, no Autódromo Internacional de Curitiba, em Pinhais. No primeiro dia de treinos livres para a prova de amanhã, os melhores tempos ficaram mesmo com os pilotos que durante toda a semana falaram que vencer a última prova do ano é questão de honra. Independente da definição do título a favor de Wellington Cirino (149 pontos) em função do resultado do julgamento do Tribunal Superior de Justiça Desportiva da CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo), Djalma Fogaça (Ford) empatado com Renato Martins (Volkswagen) na 2.ª posição com 105 pontos, Beto Monteiro (Ford) com 97 e Roberval Andrade (Scania) com 84, fazem questão de encerrar o ano com uma vitória.

Porém a maior barreira parece ser o próprio campeão Cirino, que mostrou ter o mesmo objetivo para a prova de amanhã. Sem a mínima cerimônia, o paranaense de Francisco Beltrão foi o mais rápido do dia, na combinação entre os dois treinos livres com a marca de 1min43s110, recorde extra-oficial do circuito de Curitiba. O principal adversário de Cirino, e líder do campeonato durante as sete primeiras etapas, Fogaça, também não se intimidou com a performance do campeão. Marcou o segundo melhor tempo ontem e cravando quatro milésimos de distância da marca de Cirino. “Estou mais motivado do que nunca para esta corrida”, avisa Fogaça.

Além de Roberval Andrade e Beto Monteiro, terceiro e quarto tempos no treino de ontem, o gaúcho Jorge Fleck (Volvo) comemorava sua posição com o quinto melhor tempo do dia, 1min43s669. É a segunda prova que Fleck faz com o modelo NH 12 da Volvo, depois que seu FM (cara chata) pegou fogo em um treino em Guaporé – RS. “Não tem jeito. A minha tocada é mesmo no modelo bicudo (NH) onde sinto melhor distribuição de peso e uma série de vantagens. Daqui não saio mais”, decretou o bicampeão da Truck (99 e 2000).