Em entrevista concedida ontem, ao correspondente da Agência Globo, Fernando Duarte, em Birmingham, na Inglaterra, a ginasta Daiane dos Santos revelou que passará por nova cirurgia no joelho, em janeiro de 2005. A ginasta, que disputará as finais da Copa do Mundo de Ginástica Artística, amanhã, em Birmingham, na Inglaterra, passará por um transplante de cartilagem do joelho esquerdo para o direito, tentando acabar de vez com as incômodas dores neste último e chegar em boas condições às Olimpíadas de Pequim (2008). Por causa da cirurgia, Daiane terá que parar por seis meses. Mas o período de inatividade não incomoda a ginasta.

"Tenho que ficar seis meses parada. Sei que é arriscado, mas é melhor fazer a cirurgia, porque não vai atrapalhar a minha preparação para Pequim. E a recuperação só depende de mim", disse Daiane, confiante.

Hoje, entram em cena os irmãos Hypólito, a partir das 10h30 (de Brasília), com transmissão ao vivo da SporTV. Daniele, única brasileira que disputou uma final da Copa do Mundo, em 2002, em Stuttgart (quarto lugar na trave), competirá nas assimétricas. Na prova, o favoritismo é da chinesa Li Ya, de 16 anos, com 1,39m e 32kg.

"Estou tranqüila para competir e muito bem preparada. Só teremos uma chance para acertar e temos que fazer isso de qualquer forma", disse Daniele, que compete domingo também na trave e no solo.

Diego competirá no solo -prova que lhe rendeu quatro medalhas de ouro neste ano, nas etapas da Copa do Mundo do Rio de Janeiro, La Serena (Chile), Glasgow (Escócia) e Ghent (Bélgica). Ele aponta o romeno Marian Dragulescu, vice-campeão olímpico em Atenas, como o seu principal adversário.

"As minhas chances de medalha são grandes. A final está sendo encarada como a Olimpíada que não disputei", disse Diego, que venceu Dragulescu nas duas últimas etapas da Copa do Mundo, em Glasgow e Ghent. Ele também disputará a final do salto sobre o cavalo, que será domingo.

Vazou

A revelação da cirurgia de Daiane pegou de surpresa o ortopedista Mário Namba, que já a operou duas vezes. O médico da Confederação Brasileira de Ginástica (CBGin) afirmou, por meio da assessoria de imprensa da entidade, que vai aguardar o retorno da atleta ao Brasil para fazer uma avaliação do caso – mesmo porque, ela está há cerca de 20 dias na Europa.

A notícia surpreendeu até mesmo a CBGin. Segundo a assessora de imprensa da entidade, Lanova Dias Lopes, "a necessidade da cirurgia já tinha sido cogitada". Mas ainda não havia nada acertado. "Quando ela retornar, será feita uma reavaliação", explicou.