Os ingressos para o clássico mineiro entre Cruzeiro e Atlético, no próximo domingo, no Mineirão, pela décima rodada do Campeonato Brasileiro, serão divididos igualmente entre as torcidas rivais. No final do mês passado, os dois clubes firmaram um acordo no qual o mandante teria direito a 90% dos ingressos e o visitante, a 10%.

Mas nesta terça-feira, durante uma reunião na sede da Federação Mineira de Futebol (FMF), os dirigentes decidiram voltar atrás. A decisão também valerá para o confronto no segundo turno. Enquanto o Atlético luta pela ponta do Brasileirão, o Cruzeiro, mandante deste primeiro confronto, está envolvido com a decisão da Copa Libertadores e muito provavelmente deverá usar um time reserva no clássico.

A ideia inicial ao dividir desproporcionalmente a carga de ingressos era tentar frear os episódios de violência durante os jogos entre os dois maiores rivais mineiros. Na segunda, porém, a Polícia Militar divulgou uma nota oficial manifestando-se contrária à realização do clássico de “uma só torcida”.

O coronel Renato Vieira de Souza encaminhou o ofício à FMF e ao Ministério Público estadual alegando que seria arriscado privilegiar a torcida celeste com a maior parte dos ingressos no atual momento. O comandante do policiamento também ponderou que a medida deveria ter sido mais discutida com as partes envolvidas e testada em outra ocasião.

“É responsabilidade nossa cumprir o que a polícia apresentou, que é uma coisa lógica. Então, cabe aos clubes respeitar a decisão e fazer um bonito clássico no domingo”, disse o presidente do Atlético, Alexandre Kalil, em entrevista à rádio Itatiaia. A venda antecipada de ingressos terá início na quinta.