São Paulo

  – Claudinei Quirino dos Santos se recupera de um trauma que quase pôs fim à sua carreira. “Estou recomeçando do zero”. Desta forma, ele resume o momento da carreira, quase encerrada em razão de uma cirurgia no púbis, realizada em dezembro do ano passado. Principal velocista brasileiro, ele passa por um longo processo de recuperação. Até retomar as vitórias, terá que superar muitas adversidades. “Tenho vontade de ganhar todas as competições, mas preciso respeitar meus limites”, pondera Claudinei, que só voltou a treinar cinco meses após a cirurgia. O primeiro torneio importante é o Campeonato Paulista, que termina hoje domingo, no Ibirapuera, em São Paulo.

O tempo parado quase interrompeu a carreira do velocista. “O Claudinei pensou em abandonar o atletismo”, confessa o treinador Jaime Neto Júnior. Nos Mundiais de 1997 e 1999, Claudinei foi medalha de bronze e prata, respectivamente e medalha de prata na equipe dos 4×100 na Olimpíada de Sydney. “Como ele não conseguia dar seqüência aos resultados, se sentiu muito pressionado”.

Por isso, o atleta precisou de acompanhamento psicológico. “Felizmente, o Claudinei está motivado. Ele recobrou a confiança e tem conseguido bons tempos nos treinamentos”, comemora o técnico. “Há três meses, não sinto dores no púbis e sei que preciso superar muitas etapas para voltar a vencer”, disse Claudinei.

A curto prazo o plano é terminar a temporada entre os 50 melhores do ranking mundial. Para os próximos campeonatos, como os Jogos Abertos, em Franca, e o Troféu Brasil, no Rio de Janeiro, a meta é mais modesta. “Quero apenas recuperar o ritmo de competição”.