O técnico Claudinei Oliveira confirmou nesta terça-feira que vai escalar o Santos com três atacantes na partida contra o Coritiba, quarta-feira, no Couto Pereira, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. Além disso, a formação terá cinco alterações em relação ao time que iniciou a derrota por 3 a 0 para a Portuguesa.

O trio de ataque será formado por Everton Costa, William José e Thiago Ribeiro. Claudinei explicou que eles terão obrigações defensivas. “Jogar contra o Coritiba, com três atacantes, não quer dizer que vamos jogar só atacando. Sem a bola todos podem marcar. Sem a bola, compactamos lá atrás. Com a bola, aproximamos as linhas de defesa, meio e ataque”, disse.

A entrada de Everton Costa no ataque é uma das cinco mudanças promovidas por Claudinei no Santos e já havia acontecido durante o jogo de domingo, quando o volante Renê Júnior se contundiu. O duelo de quarta marcará um reencontro com o ex-clube e o técnico acredita que a situação deve motivar o atacante.

“Acho que o jogador se motiva contra o ex-clube. O Everton Costa estará a mil por hora para enfrentar o Coritiba. O William José, Thiago Ribeiro, Arouca e Cicero jogaram muito bem contra o São Paulo. O Montillo também contra o Cruzeiro. Não quer dizer que tenham algo contra o clube, mas querem mostrar que não deveriam ter saído. Com treinadores também é assim. Isso já vem da nossa cultura”, disse Claudinei.

Além dessa troca, o Santos terá outras quatro novidades. Cicinho está contundido e será substituído na lateral direita por Bruno Peres. Emerson Palmieri ganha chance na lateral esquerda, já que Mena está na seleção chilena. Aranha volta ao gol após cumprir suspensão automática, no lugar de Vladimir, mesmo caso do volante Alison, que ocupa a vaga de Leandrinho, com infecção intestinal.

Assim, o Santos vai entrar em campo nesta quarta para enfrentar o Coritiba com a seguinte formação: Aranha; Bruno Peres, Edu Dracena, Gustavo Henrique e Emerson Palmieri; Alison, Arouca e Cícero; Everton Costa, William José e Thiago Ribeiro.

Claudinei evitou lamentar os problemas e garantiu que o elenco não se assustou com as cobranças após a derrota para a Portuguesa. “Não temos que ficar lamentando quem não vai jogar. Temos que valorizar quem está entrando no time. A cobrança é normal, como se todos estivessem à disposição. Isso vai sempre existir, pela camisa do Santos”, comentou.