Para os clubes, o formato do Campeonato Paranaense precisa mudar com urgência, para que a competição mantenha um mínimo de interesse. Para 2011 já há dois alentos: primeiro, a quantidade de clubes cairá de 14 para 12, o que tende a melhorar a qualidade técnica dos competidores. Depois, o fim da fórmula com o supermando.

O diretor de marketing do Coritiba, Roberto Pinto Júnior, sugere calendário diferente para quem disputa o Brasileiro. “O maior problema é que o modelo defendido pelos clubes do interior não é mesmo de quem disputa as Séries A e B. Talvez um meio-termo seria um campeonato estendido para as demais equipes, com os grandes entrando só na fase final”, exemplifica.

O presidente tricolor é mais radical. “Minha ideia é extinguir o Paranaense e recuperar a Copa Sul-Minas”, diz Aquilino Romani, evocando desejo antigo dos clubes do Estado, mas reiteradamente vetado pela CBF.

A fórmula do próximo Paranaense deve ser discutida a partir do pré-arbitral, em setembro. Uma sugestão que já circula entre os clubes é adotar o modelo do Estadual do Rio, com decisão entre os campeões do 1º e 2º turnos. Mas outras mudanças mais sensíveis podem vir à tona. (CS)