Campeão de todas as competições que disputou com a seleção brasileira feminina de vôlei, José Roberto Guimarães foi eleito pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) como o técnico do ano no País nos esportes coletivos. Nas modalidades individuais o melhor, segundo o COB, foi Marcos Goto, treinador de Arthur Zanetti. Os dois já haviam ganhado o prêmio também em 2012.

Sob o comando de Zé Roberto, a seleção brasileira de vôlei venceu cinco competições no ano e só perdeu um jogo. As campeãs olímpicas faturaram os títulos dos torneios amistosos de Montreux e Alassio, o Grand Prix, o Sul-Americano e coroaram a temporada perfeita ganhando também a Copa dos Campeões.

“Foi uma ano maravilhoso, inesquecível. Para se construir um ano assim, é muito difícil. Tivemos campanhas extremamente importantes. Foi uma grande experiência muito bem aproveitada em todos os torneios. Aprendemos muito. Jogadores ganham jogos, equipes ganham campeonatos. Foi exatamente isso que aconteceu. Ganhamos como equipe e vivemos um ano lindo como equipe”, destacou o treinador.

Esta é a terceira vez que Zé Roberto ganha o prêmio de treinador do ano. Ele já havia sido premiado em 2008 e em 2012, anos em que conquistou o ouro olímpico com a seleção feminina. Campeão também em Barcelona/1992 com o time masculino, é o único tricampeão olímpico do Brasil.

GOTO – Um desconhecido até o ano passado, Marcos Goto já é bicampeão do Prêmio Brasil Olímpico. Isso porque é o treinador do SERC/São Caetano, de São Caetano do Sul, o responsável por fazer do ginasta Arthur Zanetti campeão olímpico e mundial nas argolas. Goto trabalha com o pupilo há 15 anos.

Zanetti, que venceu o Prêmio Brasil Olímpico como melhor atleta masculino brasileiro em 2012 e concorre também em 2013, ganhou neste ano a Universíade e o Mundial da Antuérpia (Bélgica). Outro pupilo de Goto é Henrique Flores, campeão pan-americano nas argolas.

“EÉ o reconhecimento de todo um trabalho realizado durante todo este ano, não só com o Arthur, mas com todos os atletas que treino. Dedico este prêmio a toda equipe. Esse prêmio não é só meu, mas de todo mundo que está trabalhando em prol da ginástica artística brasileira. Alcançamos todos os nossos objetivos em 2013. Foi um ano até melhor do que 2012. Ganhamos tudo”, comemorou Goto.