O Comitê Olímpico Internacional (COI) espera que os três países que nunca enviaram atletas mulheres aos Jogos Olímpicos as incluam no próximo evento, na cidade de Londres, em 2012. Anita DeFrantz, presidente da Comissão de Mulheres no Esporte do COI disse que Brunei, Catar e Arábia Saudita eram as nações sem atletas mulheres, em um comunicado na Assembleia Geral do COI. “São só essas três”, disse a norte-americana DeFrantz. “Esperamos que esses três tenham mulheres em 2012”.

 

DeFrantz também mencionou 10 federações esportivas internacionais, incluindo a Fifa, presidida por Joseph Blatter, sem mulheres em suas diretorias. As federações de boxe, halterofilismo, canoagem e caiaque, handebol, tiro com arco, tiro, rúgbi, ciclismo e bobsled são as outras nove. “É perturbador que tenhamos menos mulheres do que nunca nos conselhos executivos do esporte”, disse.

Presidente do COI, Jacques Rogge disse que concordava com a estratégia da comissão de “nomear e envergonhar”. “Apesar das deficiências no mundo olímpico, acho que estamos a fazer progressos”, acrescentou.

DeFrantz já havia sugerido a exclusão dos Jogos Olímpicos de nações que tenham a política de enviar apenas atletas do sexo masculino.O Catar enviou uma equipe exclusivamente masculina aos Jogos de Pequim, em 2008, e Brunei não incluiu uma única mulher. Várias outras nações que excluíam as mulheres, como Omã, Iêmen e Emirados Árabes Unidos, enviaram atletas mulheres para a China.

 

O presidente da Federação Internacional de Boxe, o taiwanês Ching-kuo Wu, membro do COI, disse que a inclusão das mulheres no mais alto nível é um processo gradual. O boxe, que antes era um esporte olímpico exclusivo para homens, agregou a disputa feminina nos Jogos de Londres, em 2012. “Estamos tentando promover a liderança das mulheres no esporte”, disse. “Mas é preciso tempo e esforço. Vamos continuar a promovê-la”.